Série Mentes — O cientista Ado Jório usa a óptica para detectar o Alzheimer

A óptica, um dos campos da Física, é objeto de estudo no tratamento do Alzheimer

Centenas de inventores brasileiros estão tentando, neste exato segundo, descobrir qual o próximo passo da ciência. A nova série “Mentes — uma jornada pela inventividade”, criada em colaboração com a NatGeo, mostra um pouco da busca pelo conhecimento de algumas das mentes mais brilhantes do país.

O primeiro episódio apresenta o físico Ado Jório de Vasconcelos, um dos cientistas mais influentes do mundo de acordo com o ranking The World’s Most Influential Scientists publicado pela Thomson Reuters, e a pesquisa por um método óptico para detecção precoce de Alzheimer por meio da detecção de proteína que estaria relacionada ao seu desenvolvimento.

Embarque nesta #jornadapeloconhecimento com a gente e assista ao primeiro episódio completo:

“Um feixe de laser de altíssima potencia acertou minha retina há mais ou menos 12 anos, deixando-me cego de um olho. Isso me deixou interessado em desenvolver alguma tecnologia relacionada ao uso de luz para estudar o olho. A proposta desta linha de pesquisa é a detecção, via luz incidindo no nervo óptico, de uma proteína que estaria relacionado ao desenvolvimento do Alzheimer”, conta Ado Jório.
Like what you read? Give Petrobras a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.