Podcast: STEM na prática, como despertar o interesse pelas carreiras científicas

O ensino de disciplinas relacionadas às áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemáticaque, juntas, compõem a sigla STEM — tem proporcionado experiências interessantes em sala de aula em razão da aplicação de novas tendências no campo da educação.

No podcast de hoje, apresentamos algumas das possibilidades encontradas por professores para despertar a paixão dos jovens alunos por esses assuntos, frequentemente considerados mais "pesados". Dê o play e confira:

Salvador Nogueira, mediador do bate-papo, conversa com dois convidados que possuem visões complementares a respeito do aprendizado STEM. São eles: Mylena Peixoto, estudante e pesquisadora carioca, e Jorge Fernando, professor e diretor de pesquisa do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro.

Com apenas 18 anos, Mylena já fez parte de um grupo responsável pela descoberta de cinco asteroides em conjunto com o Clube de Astronomia de Campos dos Goytacazes, no norte fluminense. Ela também foi escolhida pela The Mars Generation, nos Estados Unidos, para compor a classe de 2018 no 24Under24 Leaders and Innovators in STEAM and Space Awards.

A jovem acredita no poder da educação e traz suas perspectivas sobre o papel de ser propulsora de um mundo melhor. Ela explica como a busca pelo conhecimento e a força de vontade têm sido importantes para a sua jornada:

“Espero não só mudar a concepção do Brasil sobre a ciência, mas também motivar outros jovens e mostrar para outras pessoas que, quando se busca, se almeja um sonho, se batalha e persiste, é possível realizá-lo. A educação e a ciência é o que transformou a minha vida. E eu espero, através da minha história, transformar outras pessoas também.”

Jorge Fernando, por sua vez, nos conta um pouco mais sobre as iniciativas de STEM em que participa. Ele está à frente da Trupe Matemágica — iniciativa focada em educação STEM para meninas e que visa oferecer possibilidades para que elas sigam carreiras científicas — , selecionada para participar de um simpósio internacional da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em Bangkok, capital da Tailândia, no ano de 2016. Para ele, o ensino tradicional precisa ser reimaginado à luz das mudanças que ocorrem em nossa sociedade:

“Nos últimos anos, houve uma necessidade de modificar gradativamente a maneira pela qual o ensino tradicional é levado nas escolas. Afinal, muitas inovações que aconteceram nos últimos 20 anos, dependeram, principalmente nos países mais desenvolvidos, dessas relações entre as disciplinas STEM”.

O que você está achando dessa jornada pelo conhecimento explorada nos nossos podcasts? Confira também os dois primeiros episódios, que tratam da transformação da ciência no Brasil e no mundo e da importância do aprendizado STEM para as novas gerações.

Por fim, neste artigo, apresentamos algumas práticas atuais dessa metodologia de aprendizado, a qual contribui para o desenvolvimento de novas tecnologias. Além disso, você também tem a chance de conhecer um pouco mais acerca das inovações que são projetadas em nosso Centro de Pesquisas.