Redução não é solução!

Precisamos informar a desinformação

Photo by Aaron Burden on Unsplash

Com o resultado da última eleição chegou o momento da gente combater as fake news. Primeiro porque elas mostraram que tem grande poder a ponto de influenciar fortemente uma eleição, e depois, é preocupante pensar que essas informações falsas podem servir como base para aprovar leis que se baseiam numa falsa demanda da sociedade.

O tema de segurança pública ganhou muito destaque na eleição, mostrando que qualquer candidato que estivesse disposto a combater a violência com violência ganharia bastantes pontos. Recentemente, os dois governadores eleitos dos grandes estados: João Doria (SP) e Wilson Witzel (RJ) fizeram afirmações polêmicas sobre como iriam tratar a segurança publica nos seus governos.

Fico espantado com a facilidade e abertura que os governadores tem para afirmarem que vai colocar “sniper para abater criminosos”, ou que agora a “policia vai atirar para matar”, assumindo essas opiniões em rede nacional sem causar nenhum constrangimento. Além dessas afirmações, outros candidatos se aproveitaram da falta de informação das pessoas para reiterar a possibilidade de reduzir a maioridade penal de 18 para 16 anos.

O papel da mídia é fundamental nessa história de redução, porque são os programas policialescos os principais responsáveis por transmitir a ideia de que os jovens usam de sua menor idade para abusarem das leis, matando e roubando a vontade sem serem punidos. Além da mídia dar bastante atenção para esses casos, a ideia de que os jovens não são punidos por cometer crimes é falsa.

Na teoria, quando um jovem comete um crime muito grave no estado de SP, ele vai para fundação casa. Lá existe um trabalho socioeducativo que vai inserir esse jovem na sociedade de novo. Se a redução é aprovada, os jovens que cometem crimes serão inseridos nos superlotados sistemas penitenciários, onde suas chances de reincidir na criminalidade são bem maiores, pois esses lugares funcionam como escolas dos crimes.

Segundo um dado divulgado em 2016 pelo Conselho Nacional de Justiça, os crimes mais cometidos pelos adolescentes é tráfico de drogas, seguido por roubo qualificado e roubo. Entre os 8 crimes mais cometidos, não existe menção sobre homicídio, provando que é muito mais alarde da mídia do que um problema real.

O aumento na quantidade de adolescente cometendo crimes é real, é um problema e precisa ser tratado. A fundação casa não resolve tudo, mas jogar esses jovens numa penitenciaria resolve menos ainda. Além do mais, a juventude na faixa dos 15 aos 29 anos é maior vitima da violência por arma de fogo, de acordo com um dado publicado pelo Atlas da Violência em 2016.

Aquele jargão: “Mais escolas e menos presídios” nunca fez tanto sentido. Seria muito melhor investir em educação em politicas publicas para ressocialização dos jovens, do que enfiá-los numa cela. A redução da maioridade penal é uma realidade cada vez mais próxima e uma perda muito grande para sociedade, representa a falta de compromisso do estado de lidar com problemas de segurança pública punindo os falsos culpados.

Acredito que nesse momento é importante combater as fake news, informando as pessoas sobre as possibilidades de pensar os problemas da nossa sociedade de forma racional e menos radical. Optar pela redução é escolher tratar os sintomas, quando o ideal poderia ser prevenir as causas para termos mais jovens entrando em escolas e menos jovens entrando em presídios.


Gostou desse texto? Deixe suas palmas aqui (elas vão de 1 a 50).
Siga a Pirata Cultural aqui no Medium e acompanhe os autores!
Se quiser escrever com a gente, só clicar aqui