SERVILUZ LUTA POR PAZ

No último sábado (15) três mulheres foram assassinadas em chacina no Serviluz, periferia de Fortaleza. A versão oficial da Polícia Civil aponta que a suspeita é de que os assassinatos foram motivados por uma disputa por territórios de tráfico de drogas na região.

A população contesta a versão oficial devido a comunidade ser é um dos bairros que estão no acordo pela paz entre PCC e Comando Vermelho e que derrubou a taxa de homicídios em Fortaleza nos últimos meses. As facções proíbem ciclo de vingança das gangues locais.

No dia seguinte a Chacina, um ônibus foi incendiado à em frente do Farol do Mucuripe. Tudo indica que em resposta as mortes das 03 mulheres.

O fogo foi controlado por uma equipe do Corpo de Bombeiros que passava pelo local e avistou as chamas. Não houve registro de feridos.

Já na segunda-feira (17), moradores do Serviluz foram às ruas clamar por justiça. Mas a manifestação foi impedida pela Polícia Militar (PM) que agiu com truculência contra as pessoas que estavam na manifestação.

Na ação três jovens e uma mulher foram agredidos pelo braço armado do Estado. Os jovens foram conduzidos até a 9° Distrito Policia, na Praia Do Futuro. Em seguida foram liberados.

No decorrer da noite, linhas de ônibus que passam na região pararam de circular. Era nítido o pouco número pessoas nas ruas, diferente de algumas semanas atrás que crianças corriam livres pelo asfalto.

QUARTA-FEIRA

Familiares e amigos/as das vitimas realizaram uma oração para às vítimas da Chacina, no Farol do Mucuripe.

Fotos de Coletivo PODECRER

SEXTA-FEIRA

No sétimo dia da Chacina, dezenas de moradores realizaram mais manifestação. Desta vez com a presença maior de pessoas. Familiares e amigos de vítima de outras Chacina que aconteceu na região estiveram presentes.

Durante o ato, foi destacado a importância do engajamento da comunidade para lutar por justiça e dizer que a paz reina na comunidade.

“Não há o que a gente ter medo, porque a gente não tá fazendo nada errado. Estamos lutando pelo direito da gente, pelos direitos dos filhos da gente. Chega de acontecer as coisas com a gente e a gente se trancar dentro de casa. Porque nós não somos os vilões. Nós somos as vítimas.” Afirma umas das moradoras do Serviluz.

Outra manifestação será realizado em prol da paz no Serviluz no dia 06 de Novembro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.