Brian Kordell

última cruzada

não há porre que consiga apagar
a memória de ter estado no topo do mundo, vivo e forte
e rolar de lá feito uma pedra gigante
esmagando tudo pela frente, como num filme do indiana jones
o topo do mundo é menor que o everest
é uma escada comprada na leroy merlin
o topo do mundo serve para acharmos que chegamos a algum lugar
de onde vamos avistar as coisas que queríamos ter
o emprego estável, o carro novo aromatizado
cheirando a morango depois da lavagem que custa mais caro
do que a metade do salário de um operário assalariado
isso se você ainda conseguir encontrar um operário assalariado
se a crise não tiver engolfado todo mundo
e todos começarem a recorrer desesperadamente aos cigarros
como válvula de escape que nos deixam escapar livres pela vida
e a philip morris se tornar a empresa mais lucrativa do mundo
e você passar a esperar numa fila gigante durante semanas
só pra comprar um modelo novo de cigarro
que eles lançam todos os anos, sempre iguais
e de alguma forma talvez isso vai parecer fazer mais sentido
do que a possibilidade de um dia encontrar paz
durante o caminho de volta pra casa, vindo do trabalho
ou na mesa do café da manhã
ou na mesa com o hp velho empoeirado
ou com o mac novo de alumínio escovado
ou qualquer outra distração que ponham na sua frente
pra tirarem seu foco do que você realmente quer
o que você provavelmente não sabe o que é
assim como não sabe de onde veio essa dor nas costas
e se vai ter forças suficientes pra voltar do supermercado a pé
carregando nos braços as suas compras
e se vai haver alguém pra comer com você
quando tentar cozinhar um prato no sábado à noite
sem saber cozinhar de verdade, copiando receitas da internet
estabelecendo um vínculo íntimo e secreto com a palmirinha
questionando por que é que você se meteu nessa
esperando ver a resposta no fundo da taça cheia de vinho
só pra descobrir que respostas não se acham sozinhas
nem se escrevem com o vidro quebrado no chão da cozinha
quem tem respostas não precisa da palmirinha
quem tem respostas nunca fez as perguntas
e você, que tem o que tem, tem mais do que precisa saber
e ainda assim anda pelo mundo evitando chegar ao topo
evitando subir a escada de alumínio e avistar o que quer
esmurrando teclados e cuspindo faxes, que nem existem mais
você que tem a receita e que tem a faca e o queijo
e o molho e as panelas e o sábado e a cadeira e a vela
e alguém sentado entre a cadeira e a vela
deixa seus minutos serem transformados em lucro
e seu coração ser enfraquecido por tentar ser tão forte
mas não se esqueça que não há porre que consiga apagar
a memória de já ter estado no topo do mundo, vivo
e rolar de lá feito uma pedra gigante
que não importa o quanto tente
não consegue nunca esmagar o corpo ou a mente
de indiana jones.