fera interior

cutter by ler-ac

como nunca
invade-me a nuca
o crânio
não mais aos beijos
suaves traquejos
a arrancar-me suspiros

vive em meu cérebro
anacrônico
ditando regras universais
no travesseiro 
em que rezo sem preces
para que encontres paz

e um dia encontrarás
sopro suave
lento toque de vida
na ferida dessa alma

estarás pleno 
pênis não mais no comando
comendo ocos
igualmente vazios

(re)viverás
verdadeiros anseios

o humano 
no manejo da fera

Vini Asevedo


Siga os perfumes e espinhos de Poesia Rosa