poema de amor

sobre juras

Entre tantos poemas de amor
Agora é a vez deste, obtuso,
Confuso e desconexo.
De sexo: meu poema.

Entre tantos poemas, dei amor.
Agora, só você lerá,
Nos versos e nas rimas,
Meus significados ocultos.

Entretantos, poemas de amor,
Nossos porquês indefinidos
Definem-se nas palavras caladas,
Retiram-se na cama, de quatro.

Entre tantos, poemas de amor,
E ambos tantos tivemos. Agora,
Lá fora é uma página em branco
Para ler o amor além do poema.

Vini Asevedo


Siga os perfumes e espinhos de Poesia Rosa