Sátiro

Oliveira e Pinho no reino mortal.

Sátiro, seu Dionisíaco banquete
E o seu vomitódromo ocasional.
Xamanismo das ninfas promete
Os fortes prazeres do sexo anal.

E deixa-se dominar pelo impulso!

Sente o gozo em seu mel avulso
E um consequente vazio também.
Um corte profundo abre no pulso
Sem sorte, os sentimentos saem.

O afago frio de rapazes corteses
Provoca-lhe, adiante, o tenesmo.
Instante, do regozijo ao regurgito:
Ostentas o alto prazer dos deuses
Seguido do fel asco por si mesmo.

Vini Asevedo


Siga os perfumes e espinhos de Poesia Rosa