Amor de Fim de Semana

Tudo começou tão de repente, algumas trocas de mensagem, encontro marcado, riso fácil, cerveja para brindar a noite e o sexo como a confirmação das vontades.

Foi tudo tão de repente, de desconhecidos a íntimos, trocando confissões e segredos, sonhos e vontades, de mãos dadas, corpos juntos e olho no olho, desnudando a alma, revelando o que há de mais profundo.

O dia amanhece, as portas dos bares se fecham e o comércio reabre, a despedida acontece e a vida tem que continuar em seu ciclo automático, a correria do dia-a-dia preenche a cabeça e pouco se falam durante a semana, apenas confessam que não estão prontos para um relacionamento sério, mas prometem se encontrar em breve, sem grandes esperanças.

A vida segue e pouco se lembram da tempestade do primeiro encontro, até que chega um novo fim de semana, eles se reencontram e como um déjà vu a chama se acende outra vez.

Mais uma vez são amigos íntimos, amantes ferrenhos, os olhos voltam a brilhar e se revirar, os lábios conhecem o caminho do prazer, é como se tivessem nascido para se amar, amor de outras vidas.

Mas outro dia começa e o ciclo segue, amor de fim de semana, durante a semana são apenas conhecidos, sábado a noite é como se nunca tivessem deixado de se amar.

Não há confissão, mas ambos esperam o fim de semana com ansiedade, é quando a paixão volta à tona, é quando o ciclo automático da vida se encerra e nós nos tornamos protagonistas de nós mesmos, é quando voltamos a viver, um para o outro, é isso que me preenche, o amor de fim de semana.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.