Eu nunca fui fã de Star Wars

(…) e só fui assistir a série clássica alguns anos atrás. MAS sempre estive de alguma forma em contato com Star Wars e até gostava dos elementos familiares a série. Joguei Star Wars: Rogue Squadron no Nintendo 64, ri do gordinho com o sabre luz que viralizou ainda no inicio do YouTube e também já brinquei de lutinha de sabre de luz. Quem nunca?

Eu cresci no interior do Rio de Janeiro e por aqui não temos cinema até hoje. Minha família também nunca teve o hábito de ir em cinemas, fui assistir meu primo filme nas telonas quando tinha pra lá de 16 anos. TV a cabo também passou longe da minha infância. Isso e alguns outros motivos me fizeram nunca ter assistido Star Wars.

Por mais que nunca tenha assistido os filmes, Star Wars faz parte da cultura pop e é quase impossível não saber que o Darth Vader é o pai do Luke ou nunca ter escutado a “Marcha Imperial”, só para citar dois exemplos.

Muito disso se deve a certa genialidade de George Lucas. Quando foi acertar com a FOX para lançar o primeiro Star Wars (1977), George Lucas propôs duas condições: 1) Todo direito sobre o merchandising seria dele, ou seja, Lucasfilm, e 2) os direitos das sequencias também. A FOX aceitou de bom grado, eles já haviam perdido muito dinheiro em merchandising de filmes anteriores. George Lucas apostou então em todos os tipos de produto para expandir os lucros do filme. Bonecos, revistas, desenhos e tudo o que você consiga imaginar. O filme foi um sucesso e os produtos venderam igual água. Foi uma febre.

George Lucas hoje aparece em primeiro lugar em listas de celebridades mais ricas do mundo — como no Top 50 da Celebrity Net Worth— muito por ter imposto essas duas condições a FOX. Uma visão de negócios brilhante.

George Lucas e o personagem C-3PO em foto do set de Star Wars.

Além de Star Wars (1979) a série clássica recebeu duas continuações Star Wars: O Império Contra-Ataca (1980) e Star Wars: O Retorno de Jedi (1983), e 16 anos depois Star Wars Episódio 1: A Ameaça Fantasma (1999), dando inicio a chamada “trilogia nova” que ainda teve Star Wars Episódio II: Ataque dos Clones (2002) e terminou com Star Wars Episódio III: A Vingança dos Sith (2005) servindo todos como preludio para a série clássica.

A “trilogia nova” que teve inicio em 1999, contou com bons atores como Natalie Portman, Samuel L. Jackson e o já falecido Christopher Lee. Mas não conseguiu agradar aos fãs, as principais criticas são de um roteiro que insistia em explicar coisas desnecessárias (vide midi-chlorians) e o uso abusivo de computação gráfica. Eu não assisti a “trilogia nova” e sinceramente não pretendo assistir.

Além dos seis filmes e o de Star Wars: Rogue Squadron que citei acima, durante essas três décadas Star Wars foi tema de mais de uma dúzia de jogos, diversos livros foram lançados, várias séries de quadrinhos pela editora Dark Horse, desenhos animados e até mesmo filmes derivados, como é o caso de Caravana da Coragem (The Ewok Adventure). E claro centenas de produtos licenciados. Você encontra Star Wars até em sandálias, como é o caso dessa Melissa ao lado que uma amiga fez questão de me enviar uma foto quando a viu na shopping.

Star Wars tem tanto impacto na cultura ocidental que no Reino Unido a Força é praticamente uma religião.

A critica negativa aos novos filmes acabaram me afastando da série, nunca me senti a vontade pra entrar no universo de Star Wars, sempre me senti um observador distante. Pra mim, parecia que a experiencia Star Wars era exclusiva daquele grupo que assistiu aos filmes na infância, o qual eu não conseguiria me encaixar.

Até que em 2012 saiu a seguinte noticia:

Disney compra Lucasfilm por US$ 4,05 bi e promete ‘Star Wars 7’
Foto divulgada após anuncio da compra.

E foi então que tudo começou…

Eu já disse: nunca fui fã de Star Wars. Mas o anuncio da compra pela Disney mexeu com minhas expectativas. Primeiro, porquê a Disney possui dinheiro suficiente para produzir conteúdos diversos e sem que isso afete a qualidade. Segundo, basta olhar o que a Disney fez com a Marvel Studios e até mesmo com a Pixar.

Lista de filmes da Disney até 2017. 3 Star Wars estão nela.

Junto com o anuncio de compra, a Disney fez questão de anunciar também que iria produzir Star Wars VII. Foi questão de tempo para informações começarem a pipocar. Star Wars VII foi confirmado, recebeu o titulo de Star Wars: The Force Awakens  Star Wars: O Despertar da Força aqui no Brasil — e a data lançamento foi confirmada para 17 de Dezembro de 2015. A Disney/Lucasfilm anunciou também que ira produzir filmes anuais da série, incluindo antologias. As antologias (histórias com inicio e fim que não precisarão ser tão conectadas aos filmes principais) serão chamadas de “A Star Wars Story”, sendo a primeira delas Rogue One: A Star Wars Story que conta com direção de Gareth Edwards (Godzilla) e Felicity Jones (The Theory of Everything) como protagonista, será lançado em 16 de Dezembro de 2016.

Elenco de Rogue One: A Star Wars Story em única foto revelada.

Sobre Rogue One: Eu tenho uma leve esperança que seja uma história tão suicida quanto foi Halo Reach. Só isso.

Diante de todos esses anúncios não tem como não ficar empolgado. Mas eu quero antes de tudo focar um pouco na produção de Star Wars: The Force Awakens que revela bastante sobre o caminho que a Disney pretende seguir com a franquia.

Uma palavra que define bem a produção do próximo Star Wars é CUIDADO.

Após anunciar que iria produzir Star Wars VII, a Disney foi revelando pouco a pouco os detalhes da produção. O diretor escolhido foi J. J. Abrams, criador da série Lost e diretor de Star Trek e Além da Escuridão — Star Trek. J. J. Abrams na direção? depois de trazer Star Trek para um novo público, não consigo pensar em um nome melhor para Star Wars VII.

O elenco foi sendo formado. Harrison Ford (Han Solo), Mark Hamill (Luke Skywalker), Carrie Fisher (Leia), Anthony Daniels (C-3PO), Peter Mayhew (Chewbacca) e Kenny Baker (R2-D2), atores da trilogia clássica, se juntaram com John Boyega, Oscar Isaac, Simon Pegg, Andy Serkis, Daisy Ridley, Adam Driver, Gwendoline Christie, Lupita Nyong’o, Domhnall Gleeson e Max von Sydow.

Um elenco primoroso! Oscar Issac e Domhnall Gleeson fizeram um ótimo trabalho em Ex Machina e interpretaram o rebelde Poe Dameron e o General Hux, respectivamente. Lupita Nyong’o, ganhadora do Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante por 12 Anos de Escravidão, interpretara a alien Maz Kanata. Gwendoline Christie você deve conhecer por ser a Brienne de Game of Thrones, em Star Wars ela será a Capitã Phasma. Nomeado a três Emmys seguidos pela série Girls, Adam Driver viverá o vilão Kylo Ren. John Boyega e Daisy Ridley completam o elenco principal. Boyega interpretara Fynn, aparentemente um Stormtrooper que se rebela, enquanto Daisy vive a heroína Rey.

Elenco reunido pela primeira vez.

Além do elenco e diretor, foi anunciado que John Williams (autor da trilha original e das tilhas de Jurassic Park, Indiana Jones, E.T., Tubarão e muitas outras) será o responsável pela trilha. No roteiro, junto com J. J. Abrams, estará Lawrence Kasdan (roteirista de O Império Contra Ataca e O Retorno de Jedi).

Um bom elenco, um bom diretor e uma ótima trilha garantida. Porém como citei ali em cima, uma das maiores criticas à “trilogia nova” foi quanto ao uso de efeitos especiais em exagero, a Disney sabendo disse resolveu usar o máximo de efeitos práticos possíveis. Fotos do set de filmagem começaram a vazar e revelar coisas como: Millennium Falcon sendo construída em tamanho real. Em um vídeo para uma campanha da Unicef, J. J. Abrams aparecia em um cenário onde foi possível ver vários animatronics (robôs construídos para simular animais e humanos). E se ainda restava dúvidas, na Comic Con San Diego desse ano (2015) foi revelado um vídeo onde o elenco comenta um pouco sobre a construção do filme e o uso de efeitos práticos. Vídeo abaixo.

Fotos do set de Star Wars: O Despertar da Força.

Vídeo revelado na Comic Con:

Star Wars: O Despertar da Força — Comic Con

Tudo isso define bem o porquê da palavra “cuidado” ser a definição de Star Wars VII. Aliás, no vídeo que foi revelado na Comic Con é possível perceber o quanto os próprios realizadores estão emocionados em trabalhar no projeto.

Outro momento que me impressionou foi quando um BB-8 em tamanho real e controlado por controle remoto apareceu durante um painel na Star Wars Celebration Anaheim (16/04). Veja o vídeo clicando aqui.

Bom, gostaria de abrir um pequeno parenteses para comentar sobre um detalhe que me fez ficar ainda mais ansioso por Star Wars VII:

Representatividade.

Arte de M. Steffens. Retirado do blog Momentum Saga.

Star Wars sempre teve um certo nível de representatividade — bem MENOS que Star Trek, é verdade- a princesa Leia era uma personagem feminina forte, apesar de nem mesmo passar no teste de Bechdel. Na trilogia clássica tinha o personagem negro Lando e na nova Mace Windu. Mas isso é pouco, muito pouco.

A imagem ao lado é do texto “Por que a representatividade importa?” da Lady Sybylla para o blog Momentum Saga. Além desse texto, recomendo também ler o “Mais diversidade, por favor!”.

Star Wars: O Despertar da Força aposta muito mais na diversidade do que os filmes anteriores. Pelo trailer, poster e todo material que foi divulgado até agora, Rey (Daisy Ridley) sera a protagonista ao lado de Finn (John Boyega) e Poe Dameron (Oscar Isaac). Uma mulher, um negro e um latino. Kathleen Kennedy, atual presidente da Lucasfilm, disse que é de extrema importância ter uma personagem feminina como protagonista. O poster oficial do filme traz Rey em destaque — no poster vertical — e Finn ao lado empunhando um sabre de luz. É difícil citar um filme de ficção cientifica que conte com uma personagem feminina e um personagem negro como protagonistas, eu não me lembro de nenhum.

Além da Rey outra personagem chama atenção: a Capitã Phasma (Gwendoline Christie). A líder de uma tropa de Stormtroopers. Visto pelo seu papel em Game of Thrones é de se imaginar que a Capitã Phasma siga a mesma linha, é de se esperar que a personagem seja realmente uma líder.

Poster oficial de Star Wars: O Despertar da Força.

É um pequeno passo para Star Wars, um grande passo para aumentar a representativa na cultura pop. O universo de Star Wars também ganhou seu primeiro personagem gay, Moff Mors será uma líder imperial lésbica em Star Wars: Lords of the Sith, livro que foi lançado em abril nos Estados Unidos.

Trailer Oficial — Star Wars: O Despertar da Força
Reação de Daisy Ridley ao assistir o terceiro trailer de Star Wars: O Despertar da Força.

Apesar de três trailers lançados até agora, ainda há muitos mistérios sobre o que acontecerá no filme. Sabe-se que Rey é como uma catadora de sucatas que vive no planeta de Jakku — em Star Wars: Battlefront haverá uma DLC sobre a Batalha de Jakku, que cronológicamente começa antes de começar o filme — . Finn é um stormtooper que por algum motivo deserta e acaba caindo no mesmo planeta de Rey, nos trailers ele aparece segurando um sabre de luz, mas não se sabe se ele tem a força ou não. Poe é um piloto rebelde que acaba sendo capturado pelo vilão do filme, Kylo Ren. Luke? Nem sinal dele nos trailers. O personagem da Lupyta também não aparece. Não fica claro quem tem a força e quais são as motivações de Kylo Ren. Ou seja, ainda temos muitos mistérios para descobrir, bem do jeito que o J. J. Abrams costuma fazer.

A sessão que comprei o ingresso já está praticamente lotada.

Star Wars: O Despertar da Força chegara ao cinemas no dia 17 de dezembro. A venda de ingressos começou no dia 19 de outubro, mais de um mês antes da estreias, batendo recordes de vendas e chegando a vender mais de oito vezes o número de ingressos de Jogos Vorazes: A Esperança — O Final, antigo líder de pré-vendas.

É um sucesso. Analistas preveem que o filme arrecade 600 milhões de dólares em sua estreia. Que venha O Despertar da Força!

Além do Despertar da Força…

Como comecei dizendo, Star Wars sempre teve um potencial enorme de merchandising e não será diferente agora com a supervisão da Disney. Até o lançamento do filme, serão publicados 20 livros (!) — romances, livros infantis e histórias em quadrinhos (Os quadrinhos de Star Wars estão sendo publicados pela Marvel, atualmente são três séries: Darth Vader, Princess Leia e Star Wars). Nos games, foi cancelado o Star Wars: 1313 que iria ser lançado pela Lucasart, mas em compensação foi anunciado Star Wars: Battlefront.

A Disney resolveu chamar quem entende do assunto. Star Wars: Battlefront, terceiro jogo da franquia, está sendo desenvolvido pela DICE/EA, mesma desenvolvedora de Battlefield. O jogo será lançado no dia 17 de novembro. Eu joguei o Beta aberto, bem pouco é verdade, mas deu para ter uma noção do que seria o jogo. Basicamente é um Battlefield mais amigável.

Star Wars Battlefront: Multiplayer Gameplay | E3 2015 “Walker Assault” on Hoth

No dia 2 de setembro a Disney fez um evento mundial de unboxing da sua nova linha de produtos baseados no universo Star Wars. Foram 18 horas de streaming. Segundo pesquisas da Statistic Brain, os brinquedos da saga já renderam US$ 12 bilhões, sendo que a nova linha não tem divulgada uma expectativa de faturamento. Até as Havaianas entraram na brincadeira e produziram cinco modelos relacionados a Star Wars. Livros, canecas, drones, jogos, jogos para Smartphone, jogos de tabuleiro, quadrinhos, filmes etc. Tem brinquedo e conteúdo para tudo quanto é gosto.

O que eu mais queria é o BB-8 controlado por smartphone. Olhe só:

Star Wars: O Despertar da Força será um marco para a franquia, um marco para a cultura pop e animador pensar no que pode vir depois. Séries no Netflix? Mais jogos? Ou um parque de diversões?

Durante a Disney D23 Expo, o presidente da Disney, Bib Iger, anunciou a construção de uma expansão dedicada a Star Wars nos parques da Disney de Orlando e do Anaheim. Será a maior construção temática já feita pela Disney, são 56 mil metros quadrados.

Por tudo isso eu resolvi entrar nesse clubinho chamado Fãs de Star Wars. Estou ansioso pelo novo filme e ainda mais por todas as possibilidades de conteúdo que foram apresentadas até agora. Que venha O Despertar da Força, Rogue One, Battlefront e tudo mais! Confio na Disney e no caminho que estão trilhando para apresentar Star Wars para toda uma nova geração de fãs, eu já fui fisgado e você?

Compartilhe com seus amigos no Facebook, Twitter e recomende aqui no Medium. Eu sou o Washington Dutra, também escrevo no Nerd Marombeiro e no blog +DUTRA. Você pode me encontrar nas Redes Sociais:

Twitter | Pinterest | Instagram | Facebook | Flickr | Tumblr

  • Conheça o Projeto BROS:
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.