Um lugar para ficar


A idade te atinge. Canso da transitoriedade. Toda essa necessidade de mostrar o desapego, a utilidade do próximo; me parece infantil. A extrema exibição na tentativa de chocar, a necessidade de se mostrar livre… me dá sono. Tô velho, sim, me deixem.

Não recrimino ninguém; só tenho preguiça, mesmo. Deixa a galera ser jovem. O maior sinal de que você está se aproximando dos trinta é que, repentinamente, gente de vinte e poucos parece tão irritante quanto adolescentes eram antigamente.

Me pergunto o quanto meu lugar me define; será que eu me sentiria assim tão velho e tão isolado em outro local? Será que em um ambiente com mais vigor, com mais vida, eu seria diferente?

Falo isso vivendo na capital da folia. Irônico, não? Sempre julguei que somos o tanto que o ambiente nos proporciona, e constantemente tive a sensação de estar no ambiente errado. A fuga constante faz parte da minha rotina, bem como a sensação de que nenhum lugar é pra mim.

Penso no tanto que construí e destruí nesses últimos anos. Penso nas pessoas que conheci e desconheci. Oportunidades agarradas e outras tantas perdidas. Onde eu estaria, agora, se tivesse virado à esquerda ao invés da direita? Se eu tivesse entrado na contramão? Temos como saber? Será que seria assim mesmo tão diferente?

Prefiro julgar a responsabilidade no caminho do que em meus próprios passos. Fuga, fuga, fuga. Nada de novo no front.

Me sinto acomodado. Não queria mudar, pra falar a verdade; só queria estar mais confortável. Morar em um lugar diferente, onde eu pudesse ver o céu. Ter a companhia de um cachorro ou um gato. Uma mulher pra eu apertar e pra me fazer uns cafunés. Filhos, no futuro, talvez; quem sabe? Sempre tive a vontade de cuidar de um pirralho. Ia querer ensinar pra ele tudo que sei, como meu pai me fez. Ou uma garota, também; tanto dá. Mas ia querer lhes dar amor e sabedoria, para que crescessem e se tornassem pessoas boas.

Iam sofrer tanto no futuro, coitados. Ser bom muitas vezes dói. Mas ainda acho que vale a pena.

A idade bateu feio. Deixa meus grisalhos falarem. Me sinto aqui entocado em meu absoluto aconchego imaginário. Ainda não havia encontrado ele, porém. Mas vou continuar a acreditar. Um conforto, um sossego. Um lugar para ficar.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.