Inovação e Comunicação compartilhando sonhos

Com ideias inovadoras e investimento e marketing, um caipira ‘tocou o terror’ entre os gigantes da indústria automobilística em plena década de 50.

Preston Tucker é um daqueles personagens que entram na história, antes de qualquer feito, pela sua aparente loucura. Talvez esse fato tenha chamado a atenção de Francis Ford Copola, que ali encontrou um personagem rico para o seu filme de quase 30 anos atrás, “Tucker — Um Homem e Seu Sonho”. Mas quem é esse personagem? Bem, vamos lá.

Tucker foi um engenheiro e vendedor americano que na década de 40, como quase todos estadunidenses, se juntou ao esforço de seu país na Segunda Gerra Mundial. Vendo uma oportunidade, fundou a Tucker Aviation Corporation, empresa que fornecia aos aliados mais que aviões explícitos em seu nome. Também eram fabricados tanques e canhões utilizados no combate ao Eixo.

Com o êxito da sua ‘aventura’ nos negócios e o fim da Segunda Guerra, Tucker pôde enfim começar a concretizar o sonho de um carro confortável, seguro, rápido e barato. No início dos anos 50, ele chega ao protótipo revolucionário de automóvel com sistema de suspensão independente e um motor de helicóptero de seis cilindros, o que dava ao carro a potência de 150cv, atingindo 190 km/h em 10 segundos. Além destes números, o veículo ainda trazia itens até então nunca antes vistos em produção em série: cinto de segurança e freio a disco nas quatro rodas.

Até aqui tudo parece simples, mas a história sempre traz grandes desafios, e com Tucker não seria diferente. O capital do empresário não era o suficiente para bancar sua ‘loucura’. Então, ele precisou recorrer a venda de ações da sua empresa. Lendo uma revista viu uma peça publicitária que falava da venda de casas em pequenas e longas prestações — algo parecido com os financiamentos que conhecemos hoje. Isso lhe deu a ideia que necessitava para ‘vender seu peixe’, ou melhor, sua ideia revolucionaria. Seu carro estava mais de 30 anos à frente dos concorrentes e ele precisava divulgar isso.

Com investimentos certos e objetivos em publicidade, ele fez um anúncio de duas páginas apresentando seu veículo e seu sistema de venda de ações — também inovador. Seus concorrentes tinham um orçamento muito maior em publicidade e marketing, mas sua estratégia focada na classe média dos Estados Unidos gerou resultados. Foram levantados ao todo 28 milhões de dólares para garantir o projeto um verdadeiro sucesso.

A concorrência de Tucker, a indústria automobilística, teve que utilizar de tudo para minar sua ascensão no mercado. Lobby, acusações na justiça e uma campanha de desmoralização derrubaram a Tucker Car. Ainda assim, tendo uma apresentação eficiente junto ao público, o carro sonhado pelo empreendedor teve mais de 300 mil encomendas. As ações criativas e arrojadas em criação, venda e marketing fizeram de Preston Tucker um vulto que chamou a atenção até mesmo dos gigantes.