Carol Correia
Jul 25, 2017 · 4 min read

Escrito por: Dennis Thompson de HealthDay Reporter

Retirado de: https://consumer.healthday.com/sexual-health-information-32/sex-health-news-603/study-sees-link-between-porn-and-sexual-dysfunction-722655.html (publicado em 12 de maio de 2017)

Traduzido por Carol Correia

Jovens que preferem pornografia a encontros sexuais no mundo real podem encontrar-se apanhados em uma armadilha, pois encontram-se incapazes de realizar sexualmente com outras pessoas quando a oportunidade se apresenta, um novo estudo relata.

Os homens viciados em pornografia são mais propensos a sofrer de disfunção erétil e são menos propensos a ficarem satisfeitos com a relação sexual, de acordo com os resultados da pesquisa apresentados na sexta-feira na reunião anual da Associação Americana de Urologia, em Boston.

Para o estudo, pesquisadores entrevistaram 312 homens, entre 20 e 40 anos, que visitaram uma clínica de urologia em San Diego para tratamento. Apenas 3,4% dos homens disseram que preferiam se masturbarem à pornografia ao invés de terem uma relação sexual, verificou a pesquisa.

Mas os pesquisadores encontraram uma relação estatística entre dependência pornográfica e disfunção sexual, disse o pesquisador principal, Dr. Matthew Christman. Ele é um urologista da equipe com o Centro Médico Naval em San Diego.

“As taxas de causas orgânicas de disfunção erétil nesta idade são extremamente baixas, então o aumento da disfunção erétil que vimos ao longo do tempo para este grupo precisa ser explicado”, disse Christman. “Nós acreditamos que o uso de pornografia pode ser uma peça para esse quebra-cabeça. No entanto, nossos dados não sugerem que seja a única explicação”.

Christman disse que o problema poderia ser enraizado na biologia do vício.

“O comportamento sexual ativa o mesmo sistema de ‘sistema de recompensa’ no cérebro como drogas aditivas, como a cocaína e a metanfetamina, o que pode resultar em atividade de auto reforço ou comportamentos recorrentes”, disse Christman.

“A pornografia na internet, especificamente, mostrou ser um estímulo supernormal deste circuito, o que pode ser devido à capacidade de selecionar de forma contínua e instantânea, imagens novas e mais sexualmente excitantes”, acrescentou.

Observar muita pornografia na internet pode aumentar a “tolerância” de uma pessoa, da mesma forma que acontece com narcóticos, explicou Christman. Os consumidores regulares de pornografia são menos propensos a responder à atividade sexual regular no mundo real e devem depender cada vez mais de pornografia para serem “relaxados”, disse ele.

“A tolerância pode explicar a disfunção sexual e também pode explicar nossa descoberta sobre preferências associadas à pornografia sobre sexo em parceria com disfunção sexual ser estatisticamente maior nos homens”, disse Christman.

A pornografia também poderia estar configurando expectativas irrealistas em homens jovens e inexperientes, causando ansiedade de exaurimento de libido, quando o sexo no mundo real não mede as fantasias filmadas, disse o Dr. Joseph Alukal. Ele é diretor de saúde reprodutiva masculina na Universidade de Nova York na cidade de Nova York.

“Eles acreditam que deveriam ser capazes de fazer o que acontece nesses filmes e quando eles não conseguem, causa muita ansiedade”, disse Alukal.

O uso de pornografia variou amplamente em todos os homens pesquisados. Cerca de 26% disseram que veem pornografia menos de uma vez por semana, enquanto 25% disseram 1 a 2 vezes por semana e 21% disseram 3 a 5 vezes por semana. No outro extremo, 5% disseram que usam pornografia 6 a 10 vezes por semana e 4% disseram mais de 11 vezes por semana.

Os homens costumavam usar um computador (72%) ou um smartphone (62%) para ver pornografia, verificou a pesquisa.

Uma pesquisa separada de 48 mulheres não encontrou associação entre pornografia e disfunção sexual, ainda que cerca de 40% disseram que também assistem pornografia.

As descobertas sobre homens jovens suscitam preocupações de que a sexualidade dos adolescentes pode ser afetada se estiverem expostos à pornografia, disse Christman.

“Parece haver algum condicionamento que pode ocorrer com a exposição à pornografia na internet”, disse Christman. Ele recomenda que os pais passem tempo com seus filhos, fiquem atentos aos seus interesses e bloqueiem seu acesso ao pornô.

Os homens que estão preocupados com o fato da pornografia estar afetando sua vida sexual devem procurar aconselhamento, diz Christman e Alukal.

“Atualmente, os profissionais de saúde mental e aqueles com foco em lidar com comportamentos aditivos podem ser mais adequados para ajudar pessoas com dependência em pornografia”, disse Christman. Alguns relatórios mostraram que a função sexual pode melhorar se um homem afetado parar de ver pornografia, acrescentou.


Aplauda! Clique em quantos aplausos (de 1 a 50) você acha que ele merece e deixe seu comentário!

Quer mais? Segue a gente:

Medium

Facebook

Twitter

QG Feminista

Feminismo em Revista

Carol Correia

Written by

QG Feminista

Feminismo em Revista

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade