Aprendi a quebrar as regras

Aprendi a quebrar as regras

Olá menines, tudo bem?

Esses dias me peguei pensando em todas as regras que impomos para nós mesmos, das mais simples, tipo não andar no lado esquerdo da rua, até as mais complexas, não deixar se apaixonar. Tudo, todo o tempo, são regras que colocamos para nos proteger, como forma de “não sofrer”, de podar um pouquinho. Um dia decidi me desvestir das minhas regras, tirar uma a uma, e você, também deveria experimentar isso.

As regras impostas por nós mesmos nos condicionam e vão criando amarras, e logo, somos vítimas do que não podemos fazer, porque nós mesmos dissemos que não devemos, mas que podemos, se quisermos. Cresci com medo de perder o controle, ficar fora de mim, me condicionei a tudo que não me tirasse do centro, do equilíbrio, e só descobri isso quando deixei sair, deixei ir além. Estou aprendendo a conhecer aquela versão que parecia “proibida” de mim mesmo.

Comecei a pensar nisso quando falei para alguém que não bebo. Sempre preciso justificar se não bebo por alguma religião ou doença, e na verdade, é só por opção mesmo. Isso de não beber foi uma regra que me impus, não porque achava errado, mas porque eu me sentia “menos perfeito” se bebesse. Bobagem. Foi uma regra que quebrei, pois gosto de beber vinho, e não me culpo por isso. E sobre me impor a perfeição? Desisti disso há algum tempo.

As regras são um ciclo vicioso. Você se coloca uma. Duas. Quando vê está cheio delas. E elas, fazendo você cada vez menos você. É importante perceber para mudar. É fundamental deixar somente o que te deixa ser. É engraçado, mas em algum momento, você vai estar se vendo menos apegado, menos impedido, menos amarrado.

Não é fácil. Não é só acordar e quebrar todos esses conceitos, alguns traumas e prováveis medos, enraizados por tantos anos. É preciso se ver, se conhecer, nadar fundo dentro do que você é. Muitas vezes dói. Mas é uma dor que passa. Melhor do que deixar ela silenciosa, intocada, mas dentro, não é mesmo?

Pare para pensar alguns segundos: “Quais as regras que você se impõe todos os dias? Você quer mantê-las?”. Se a resposta for não, se abrace. Se ouça por algum tempo. Se aceite. Logo, você vai começar a quebrar regra por regra. Agora, você acordou para o seu momento de consciência.

Like what you read? Give Ranieri Trecha a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.