Sequestrado, torturado e morto ao ser reconhecido como PM

O soldado da PM, Ryan Procópio, de 23 anos, lotado na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Vila Kenedy, foi sequestrado, torturado e brutalmente assassinado por traficantes, em Bangu, Zona Oeste do Rio. O corpo dele foi encontrado amarrado e com marcas de tiros de fuzil e pistola, no porta-malas do próprio carro, em novembro de 2014, às margens da Avenida Brasil. Ryan estava de folga e foi abordado pelos criminosos quando passava pela Estrada do Engenho, em seu Honda Fit preto. Reconhecido como PM, ele foi levado para o interior da favela, onde foi torturado e morto por bandidos ligados a facção Terceiro Comando Puro (TCP). A polícia suspeita que o crime tenha sido cometido por traficantes da Vila Aliança, localizada no mesmo bairro.

Menos de uma semana depois, um homem foi preso e um menor foi apreendido por PMs. A dupla era suspeita de ter executado o soldado e o adolescente chegou a confessar para os policiais que teria participado da morte de Ryan. A prisão foi noticiada em vários veículos de comunicação, mas depois disso, o caso não foi mais citado. A barbaridade do crime foi tamanha, que chocou até mesmo os agentes que investigavam o assassinato do PM, e mesmo assim, não foram feitas suítes sobre o fato.

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2014/11/brutalidade-na-morte-de-pm-choca-policiais-que-investigam-o-crime-no-rj.html

http://odia.ig.com.br/noticia/rio-de-janeiro/2014-12-02/pm-prende-suspeitos-de-participacao-na-morte-de-soldado-torturado-em-bangu.html