Uma certeza sobre ser mulher e viajante

Quando uma mulher viaja sozinha ela não sabe se:

  • contornará a próxima esquina sem ouvir um comentário desagradável;
  • ao pedir um vinho para degustar sozinha no bar será importunada pela presença masculina que pensa que o motivo dela estar lá é justamente para encontrar um parceiro para fins sexuais;
  • ao viajar de avião, trem, ônibus se sentará ao lado de alguma mulher, de um homem tranquilo ou de um macho inconveniente e espaçoso;
  • vale a pena economizar grana e arriscar uma carona?
  • item reservado para as amigas preencherem com todas as incertezas sofridas pelas viajantes pelo fato de serem MULHERES….

Mas a mulher que viaja sozinha tem uma certeza absoluta.

(No meu primeiro mês morando sozinha em Barcelona fui encontrar o amigo de uma amiga brasileira. Eu estava tão animada. Finalmente era a hora de fazer amigos.
E porque não drinks para nos conhecermos melhor, não é mesmo? Errado.
Como uma hora de rolê já comecei a sentir cheiro de cilada. Com duas passei a tomar o cuidado de sentar do lado mais longe do sofá e afastar as mãos que tentavam aproximação da minha pele.
A minha amizade pouco interessava aquele ser humano. Ele queria mesmo era fungar de perto o perfume que eu espirrei na minha nuca.
Que bode. Desisti de tentar foçar amizade com homens desde então.)

Felizmente, a certeza que a mulher que viaja sozinha tem não é de a de que não possa existir amizade entre homem e mulher.

Mas sim que para cada destino alcançado, uma nova amiga para ouvir e ensinar. Elas estão por todos os cantos, verdade, e não estão lá por acaso. Cada mulher incrível que cruzar o teu caminho vai te explicar o porquê dela estar ali, naquela hora e local. E você vai se emocionar com a história de cada uma.

Para cada destino, pelo menos infinitas mulheres estarão lá para empatizar. Seja tomando um drink, compartilhando um brigadeiro, te oferecendo o secador…

Tinha dias que eu não sabia onde estaria depois de amanhã, mas eu sabia que independente das coordenadas geográficas, onde quer que eu chegasse eu encontraria uma mana daora para dar risada, dançar e não ter medo de continuar me jogando no desconhecido.

Para você, menina que quer viajar sozinha, vai tranquila. Confia na intuição e espere uma, duas, três, quatro, cinco mil outras mulheres te esperando no destino final e mostrar que você pode sim.


Post de #gratidão a ela que me conhecia há dois dias e me abraçou forte quando eu soube que perdi meu avô; a ela que me recebeu com uma lata de leite condensado quando eu fiquei solteira; a elas que ouviram todos os lamentos de uma fossa (e pediram mais uma cerveja); a elas que compreenderam o meu choro de quem não sabe se vai ou fica; a ela que me emprestou roupa de cama quando eu recebi visitas; a ela que cobriu meu horário no trampo quando eu saí para a balada na noite anterior; a elas que me ofereceram cama por algumas noites; a ela que me acompanhou por um mês na Grécia; a ela que me emprestou uma mochilona; a ela que me passou as fotos lindas depois; a ela que confiou no meu trabalho, a ela que rachou o táxi para voltar daquela trilha….

Ser mulher é incrível.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.