About my day

#20170119 Querido diário

Aqui estou eu, mais uma vez. Vim registrar o dia. Deixar minhas impressões e ver o que quero lembrar. Refleti sobre humildade um pouco mais. Elaboramos planos para o ano. Excursionamos pelas possibilidades do futuro.

Hoje fiz uma pergunta conectiva ao Cris, uma pergunta daquelas que faz a gente checar se nosso horizonte se parece. Para minha felicidade a resposta foi a que eu esperava. Construímos juntos nossos sonhos há tanto tempo, que às vezes a sintonia é tão grande que parece que são todos meus. E são, eu sei, mas as vezes eles moram só no meu mundo interior.

Refletir sobre isso, me fez chegar a um conceito dessa palavra, e entender que ela é o caminho para muitas coisas, mas que a conhecemos de outra forma. Humildade não é aceitar tudo que te dizem, não é baixar a cabeça e deixar os os outros dominarem o show. Humildade não é se mostrar menos sapiente diante dos outros, não é voto de pobreza. Muitas vezes usamos para dizer que as pessoas são simples ou ingênuas. Fulano é muito humilde. Quando queremos dizer que a pessoa não tem malícia, sagacidade, etc. E na real, não é nada disso.

Humildade é olhar o horizonte e saber que existe muito mais do que apenas você. Não é algo com o qual você nasce ou que seus pais te transmitiram por DNA. É saber a hora certa de agir, é saber ter empatia e acima de tudo, entender que a experiência do outro existe. Que não precisa acontecer comigo, mas existe e eu respeito. Saber que a verdade tem mais de uma face sempre, que a maneira do outro é boa para ele e pode ou não ser boa para mim, mas antes de julgar eu preciso testar.

Humildade é aprender o caminho caminhando. É sair pelas ruas com um rumo certo e no meio do caminho olhar a paisagem, valorizando-a. Se é dos humildes as maravilha da vida, é pois aprenderam a vê-la, a senti-la.

Parece tão difícil colocar em palavras, é preciso experimentar. E esse é o cerne de tudo, experimentar, e saber experimentar pela experiência do outro. É saber que somos uma trilha de energia, e que outros já passaram o caminho, que se seguirmos seu rastro será mais fácil em alguns sentidos, se tivermos humildade em aprender. Por isso a figura do aprendiz, aquele que ama o seu legado, aquele que descobriu sua missão e faz dela o seu propósito, quando se entende verdadeiramente que todos que fazem, nas suas áreas, aquilo que fazem, são mais uma experiência no todo. Que podemos aproveitá-la, nos nutrir dessa experiência e avançar além dela. Pois cada um tem sua função no todo, todas as histórias são uma história só. A pergunta é: você está disposto a observar os outros personagens, as outras tramas, ou vai ficar preso, angustiado na sua própria?

Respirar a historia do outro é libertar a nossa.

Dehdo.

Like what you read? Give André Nogueira Hübler a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.