Reta na MT-130 chegando em Alto Coité

Chapada dos Guimarães

Saímos sábado 23/07 de Rondonópolis para Chapada dos Guimarães, viajamos em uma Harley Davidson Iron 883, não viajamos pela BR-364, optamos por ir pela MT-130 que é sentido Primavera do Leste, é uma estrada linda, com algumas curvas e paisagens com formações rochosas, tirando que é muito mais tranquila porque tem pouco tráfego de caminhão. Essa MT é uma estrada com pedágios, caso passe por lá prepare-se, moto custa R$ 4,10 e carro R$ 8,20.

De Rondonópolis até o trevo de Primavera do Leste tem exatamente 119 km e para garantir a viagem sem nenhum imprevisto abastecemos a moto em Poxoréo, 80 km de Rondonópolis.
No trevo de Primavera do Leste, entramos a esquerda sentido Campo Verde, de Poxoréo até Campo Verde tem 110 km, paramos para abastecer do Posto Jardim, posto Petrobrás muito bem localizado na entrada da cidade, os donos sempre estão por lá e dão um belo atendimento, combustível testado e aprovado. Depois de abastecermos, seguimos sentido Chapada dos Guimarães, viajamos mais 70 km e chegamos na cidade.

Logo na entrada fomos até a praça central da Chapada para nos informar onde ficava a nossa pousada, apesar de saber o endereço o Google Maps não conseguia encontrava.

Ficamos na pousada Portal da Chapada, uma pousada super aconchegante, simples e com uma recepção calorosa. A pousada é de uma família que mora no Oriente Médio e tem um casal que cuida de lá, eles são super bacanas e moram no fundo da pousada.

Entrada da piscina, como estava frio não teve problema em deixar a moto por ali.
Cada quarto tem um nome, esse era do nosso quarto.

Depois de deixarmos nossas coisas na pousada fomos para o centrinho de Chapada almoçar, como era sábado encontramos uma bela feijoada no restaurante Pomodori, um lugar aconchegante e com uma comida muito boa e farta, optamos por pedir o prato de feijoada e não era a vontade, vinha uma entrada com caldinho de feijão, caipirinha e torresminho. A feijoada pesou e voltamos para a pousada para tirar um cochilo.

Dentro do Pomodori
Entrada do almoço

De tardezinha fomos para o centrinho aproveitar a praça que sempre tem som ao vivo, barzinhos abertos e lugares gostosos para comer. Aproveitamos para visitar a Igreja Nossa Senhora de Sant’Ana, recentemente eles reformaram ela e ficou linda.

Ficamos por ali na praça curtindo música ao vivo até que a fome bateu e fomos comer na Tapioca da Lú, muito boa. Logo depois bateu o cansaço da viagem e voltamos para descansar na pousada.
Dica: peçam a de carne seca com banana e creme de mandioca.

No outro dia levantamos lá pelas 7:30 e fomos tomar café da manhã, o café tem a variedade perfeita para uma boa refeição matinal, o pessoal que cuida da pousada faz na hora ovo mexido, delicioso, as pessoas conversam no café, é um ambiente muito agradável.

Conversamos bastante no café da manhã tanto com o casal que cuida de lá quanto com uma mesa que tinha uma mãe e mais 2 filhas que tinham ido passar o final de semana em Chapada.

Saímos da Chapada por volta de 9:30 da manhã, a minha família (Rafa) estavam nos esperando em Alto Coité, uma cidadezinha pacata perto de Poxoréo.

Almoçamos em Alto Coité em um restaurante super simples mas com uma comida farta. Lá funciona da seguinte forma, você entra na cozinha da casa da família e serve sua comida no fogão à lenha, custa R$ 22,00 para comer a vontade. Comida típica caseira, arroz, ovo, bife, feijão e outras cositas mas. Domingo sempre tem galinha caipira. :)

Morro da Mesa no fundo logo depois de Poxoréo

Saímos de lá por volta de 13h e voltamos para Rondonópolis, a viagem foi super tranquila.

Resumo de custos da viagem:

Essa viagem foi de puro descanso e não de aventura, caso pense em ir para fazer ecoturismo o preço sobe bastante.

Até o próximo passeio.
Rafa e Vall :)

Like what you read? Give Rafael Almeida a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.