Eu realmente não sei como começar esse texto. Eu estou tentando fazer algo legal e construtivo há alguns dias, mas como sempre algo me impede de falar sobre algo ou pensar sobre. Sem mais enrolação, eu resolvi escrever sobre algo que estou sentindo.

Hoje pela manhã tinha uma borboleta morta na minha varada, e ela já estava lá há dois dias. Antes ela se mexia, porém hoje de manhã ela estava no chão gelado e paralisada. Quando eu olhei me bateu uma tristeza, um desânimo das coisas da vida que eu acabei pensando em coisas que morrem e que são importantes na vida, mas ou alguém deixa morrer ou vai morrendo com o tempo.

Ultimamente eu sinto que coisas como: “eu te amo, você é especial para mim, sinto sua falta, estou com saudades, você é gostoso, comprar um cd físico, passar momentos mais íntimo com todos que você ama, tirar mais fotos sem se preocupar com likes, ser obrigado às coisas, carinho, importância” e muitas outras coisas. Frases, sentimentos, ações ou até mesmo olhares sinceros, tudo isso está morrendo. Quando eu digo que eu sinto falta de ouvir “você é gostoso” é porque as vezes, nós seres humanos, gostamos de nos sentir como um objeto, mas somente para pessoas que damos intimidade. Eu sei que sentir falta dói, mas sentir falta e sentir que muitas coisas estão morrendo, faz isso ficar mais doloroso e triste ainda.

A borboleta.

Morrer é preciso

Mas eu digo isso somente para coisas que já estão fadadas à morte.
Ex: Pessoas, celular, fones, móveis e milhares de coisas físicas.

A morte da borboleta me fez pensar por que as pessoas estão matando as coisas boas da vida. Eu posso pegar como base o meu relacionamento com o meu namorado e até mesmo com de pessoas ao meu redor. Sempre no começo é aquela coisa mais atenciosa, mas depois de um tempo vai esmaecendo, e fica muito raro ouvir certas coisas. Eu sei que todo relaciomento, dequalquer tipo que seja, começa de um modo especial e muito eletrizante e alegre, mas por que raios não pode continuar nessa mesma vibe?! Coisas e costumes mudam ao decorrer da vida, mas não podemos deixar morrer coisas que nos fazem feliz e que mesmo sendo pequenas ou grandes, sempre acabam nos deixando feliz.

Não deixe mais borboletas morrerem.

Reviva atitudes e coisas na sua vida que morreram e você nem percebeu e só parou para pensar agora. P****, seja feliz.

Se tu gostou deste texto, clique em recommend e compartilhe nas suas redes socias. Beijos, para as trans!!

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ramon Sousa’s story.