Como fazer um bom processo de definição de OKRs em times de produto

Sérgio Schüler
Jul 10, 2018 · 6 min read

Esse post faz parte de uma série de artigos sobre o que nós da Resultados Digitais aprendemos com o lendário Marty Cagan, seja participando do workshop ministrado por ele em SP ou na visita que ele fez à RD em Floripa para participar de uma sessão de Ask Me Anything.

Outros posts da série:

A metodologia de OKRs é bastante difundida no Brasil (se você não conhece, recomendo o artigo OKR: o que é e como a metodologia pode ajudar sua empresa a ter mais resultados). Porém ainda que seja simples entender o que são OKRs, o processo de definição deles na empresa, principalmente no time de produto, tem algumas armadilhas que muitas empresas caem. É natural, se não fosse comum muitas empresas errarem ao usar OKRs, o Marty Cagan não teria usado parte do tempo do seu workshop para falar sobre isso.

Image for post
Image for post

Passo 1: OKRs da empresa

Passo 2: definir os “O”s (Objectives) de cada time de produto

1. Cada gestor (heads de produto, engenharia, design, QA, etc) define seus próprios OKRs e delega isso para seus liderados. Por exemplo, o chefe de engenharia decide acabar com X% dos bugs críticos e distribui essa meta entre seus tech leaders, enquanto o head de produto define que a meta é aumentar a adoção em X% nos primeiros 6 meses da conta e passa isso para os PMs que são seus liderados. O problema é que o tech leader e o PM liderados por esses heads trabalham no mesmo time, o que vai gerar conflitos sobre o que a equipe deve focar de fato. Por isso é essencial que os OKRs não sejam definidos nas diferentes organizações, mas sim que cada time tenha seus OKRs.

2. Outra forma onde muitas empresas se embananam no processo é deixando os próprios times definirem seus OKRs. Isso é super bacana em termos de autonomia, mas é um desastre em alinhamento. Por isso é necessário que os heads de produto, engenharia, design, QA, etc entrem em um acordo e definam os objetivos que cada time deve perseguir (note que são os objetivos, não os key results). Afinal, os líderes estão em uma posição privilegiada para avaliar quais recursos devem investir para gerar valor para o negócio.

Passo 3: os times definem seus KRs (key results)

1. Definir KRs baseados em entregas, não em resultados (outcome > output). Exemplo: entregar a feature XYZ. Quando definimos objetivos e key results, é bem comum que ainda precisamos descobrir qual é a solução (ou as soluções) para atingir esses resultados — precisamos fazer discovery. Por definição, “discovery” significa que ainda não sabemos a resposta. Portanto nunca foque em o que será entregue, mas sim nos objetivos de negócio que o time deseja alcançar.

2. KRs não desafiadores. O mindset de um time que precisa entregar uma melhoria de 1% em uma métrica vai ser bem diferente de um time que precisa entregar 40% de melhora. Por isso é comum definir KRs do estilo moonshot, ou seja, uma meta inspiracional e que a empresa vai considerar como um grande sucesso se for alcançado 50–70% dela. Por isso que os OKRs não devem ser usadas como métrica de desempenho de pessoas. Se isso for feito, os times só aceitarão definir key results conservadores e que têm certeza que atingirão.

Passo 4: negociação final

Exemplos de OKRs de time (Uber)

Driver Team:

  • KR: +20% de motoristas de regiões ativas
  • KR: Média de >26 horas/semana dirigidas

O: Aumentar a felicidade dos motoristas

  • KR: Média de satisfação no percentil 75

Rider Team:

  • KR: Aumentar em 30% o número de primeiras-viagens

O: Aumentar engajamento do passageiro

  • KR: Média de viagens/semana +15%
  • KR: falhas em pedidos de viagem <5%
  • KR: Espera em horário de pico <10 min

O: Aumentar felicidade dos passageiros

  • KR: média de satisfação no percentil 90

Fechamento

Curtiu? Clica no coraçãozinho ali embaixo e acompanhe o que eu escrevo aqui.

Jabá: quer aprender a extrair insights de produto de entrevistas?

Image for post
Image for post

Aqui estão alguns dos reviews do curso Jobs-to-be-Done na prática:

Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post
Image for post

Ship It!

Conteúdo, opinião, vivência e compartilhamento de ideias da…

Medium is an open platform where 170 million readers come to find insightful and dynamic thinking. Here, expert and undiscovered voices alike dive into the heart of any topic and bring new ideas to the surface. Learn more

Follow the writers, publications, and topics that matter to you, and you’ll see them on your homepage and in your inbox. Explore

If you have a story to tell, knowledge to share, or a perspective to offer — welcome home. It’s easy and free to post your thinking on any topic. Write on Medium

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store