O Guia do Trabalho Remoto — segundo especialistas

Desde o início de Maio, passei a trabalhar remoto full-time para o Time de Produto da Resultados Digitais.

Como o escritório da RD é em Floripa — SC (Brasil) e eu estava de mudança para Toronto — Ontario (Canadá), a única forma possível de continuar o meu trabalho junto a esse pessoal incrível era me adaptar ao famoso home-office.

Nathan Phillips Square (Downtown) — 20min de caminhada do home-office

Ainda estou no início dessa jornada — que possui vários altos e baixos. Então, para acelerar minha adaptação, me apoiei nos ombros de uma empresa que há algum tempo vem trabalhando duro para construir um ambiente remote-friendly: o Trello.

A empresa com sede em New York atua com, aproximadamente, 65% do time trabalhando remotamente pelo mundo. Há alguns meses o Murillo Flores, um grande amigo meu e também desenvolvedor, começou a trabalhar para o Trello e me contou sobre os cuidados que eles têm para deixar com que o remoto realmente se sinta no escritório — mesmo que esse seja em sua própria casa!

No blog do Trello existe um material muito bom sobre trabalho remoto — que vai de produtividade a dicas de como fazer boas chamadas de vídeo. Resolvi trazê-las aqui, traduzidas, na forma de resumo dos posts que eu considerei mais relevantes.

Os originais (em inglês), claro, estão bem mais completos e ilustrados. Portanto, para quem quiser se aprofundar nos assuntos, sugiro clicar nos links dos títulos.


6 dicas para uma melhor comunicação entre o pessoal do escritório e do home-office

#1 Valorize indivíduos e não a infraestrutura

Uma dica legal aqui é um "remote day", onde todos do time trabalham remotos para sentir na pele as dores e alegrias de quem está distante.

#2 Evite reuniões improvisadas indo na mesa do colega

A forma mais fácil de deixar um remoto fora do loop é tomar decisões síncronas falando pessoalmente com a pessoa do lado. Em situações de emergência, evidentemente a agilidade é prioridade, porém nem sempre estamos apagando incêndios. Por isso, antes de usar da facilidade de simplesmente ir na mesa de alguém e decidir um assunto importante, por que não explorá-lo no chat do time ou até mesmo registrar por e-mail?

#3 Comunicação é assíncrona e ponto. Lide com isso!

Sempre se questione se é realmente necessária uma resposta IMEDIATA para as perguntas e mensagens que você envia. Muitas vezes o ideal é respeitarmos o tempo de cada um e formatarmos nossa comunicação para que ela possa ser entendida e respondida fora de um espaço de tempo específico — especialmente quando se lida com diferentes fusos horários.

#4 Se uma pessoa está em vídeo-conferência, TODO MUNDO está em vídeo-conferência

Grande parte da comunicação interpessoal advém da comunicação não-verbal — gestos, expressões, posturas, etc. Por isso, o grupo de pessoas que está conversando frente a frente sempre terá condições de aproveitar uma comunicação mais assertiva se comparado com uma pessoa pendurada em uma televisão/monitor ao lado da mesa.

Esse é um processo que poucas empresas conseguem seguir à risca. O Trello, com sua base de 65% de colaboradores remotos, PRECISA seguir essa regra senão grande parte das pessoas iriam ficar em uma posição incômoda enquanto uma minoria privilegiada estaria gozando do privilégio de poder se comunicar pessoalmente com o time.

Se não for possível fazer todas as reuniões com webcams individualizadas, que tal escolher pelo menos uma por semana para que todos possam vestir o chapéu do colega remoto?

#5 O momento de socializar não é somente no cafézinho

Claro que é muito mais fácil criar conexões com aqueles colegas que você esbarra na copa quando vai lanchar ou pegar um café. Porém, o que acontece com o remoto? Não tem solução bala-de-prata aqui, portanto fica a provocação do que podemos fazer para socializar mais com quem está longe.

#6 As ferramentas que você usa importam — e MUITO!

Não adiantar ter regras e todo mundo seguindo — o mais difícil! Se na hora de interação com os remotos você não tiver as ferramentas certas em mãos. Google Hangouts e Appear.in até podem funcionar para times pequenos, porém quando a escala de remotos cresce, pode ser interessante pensar em ferramentas mais robustas como o Zoom.

Resumão e dicas:

a) Assuma que todas as reuniões vão ser online. Além disso, tente sempre compilar os assuntos e decisões das reuniões de forma escrita.
b) Lembre-se de sempre colocar um link de video-conferência no evento do Calendar. Com esse hábito consolidado dá pra economizar aquele tempo em que todo mundo fica perdido procurando o link certo para a reunião.
c) Tenha rotinas e processos consistentes em reuniões remotas para que todos possam saber o que está acontecendo sem maiores explicações.
d) Assuma uma postura positiva e espere que seus colegas ajam da mesma forma. Nem sempre você vai conseguir ler o tom ou outras nuances do que a outra pessoa falou. Assumir que seu colega tem boas intenções e quer fazer o melhor de forma honesta ajuda a minimizar desentendimentos.

5 atividades rápidas para quebrar o gelo em video-conferências

#1 Aponte sua câmera para uma janela

Para deixar com que seus colegas conheçam mais sobre onde você trabalha, mostre como é o mundo lá fora. Para quem estiver fazendo as primeiras video-calls uma dinâmica interessante é deixar o pessoal adivinhar de onde você é só pelo que aparece pela janela!

#2 Mostre como é seu ambiente de trabalho

Joguinho bacana para quem se empenhou em construir um workspace bacana. Mostre o seu cantinho de trabalho e explique — se estiver confortável para isso — o porquê das escolhas de alguns objetos.

#3 Duas verdades e uma mentira

Esse é bacana! Basicamente cada um na vídeo-conferência fala duas verdades e uma mentira sobre si e os colegas precisam adivinhar. É divertido e eleva o grau de intimidade.

#4 Almoce ou tome um café remoto de vez em quando

Pode parecer estranho de início, mas compartilhar refeições com os remotos estreita os laços emocionais.

#5 Resuma seu currículo em 60 segundos

Além de todos se conhecerem melhor, jogar sob pressão eleva a adrenalina e deixa todo mundo desperto para a reunião que virá em seguida.

6 dicas para realizar video-conferências marotas

#1 Use chamadas de vídeo para fortalecer relacionamentos

As chamadas de vídeo não precisam ser aquele momento estranho em que nenhuma das partes está se sentindo confortável em aparecer na tela. Use as dicas acima para quebrar o gelo e, principalmente, faça muitas vídeo-chamadas. Depois de um tempo praticando, você verá que elas também servem para fortalecer os laços com o pessoal que não está fisicamente presente.

#2 Tenha um equipamento e uma infra que funcione bem com vídeo-conferências

Esse é um ponto crucial. Nem todo mundo tem condições de fazer o melhor setup e nem todas empresas oferecem uma ajuda para compra de equipamentos. Contudo, ter um bom fone com microfone e uma webcam — caso a do seu notebook não seja satisfatória — não sai muito caro. Esses dois itens e uma internet estável são suficientes para um bom setup remoto.

#3 Seja profissional também com a aparência: ninguém precisa saber que você acabou de acordar e nem lavou o rosto

Não precisa vestir camisa pólo ou gravata na frente da webcam. O ideal é que você se vista como se estivesse indo, de fato, trabalhar no escritório. Trocar de roupa inclusive ajuda o seu cérebro a entender que você estará focado em outras atividades que demandarão mais esforço cognitivo. É tudo uma questão de hábito.

#4 Faça com que chamadas de vídeo sejam de fácil acesso e corriqueiras

Abrir uma chamada de vídeo não pode levar mais que 30s. A familiaridade da sua equipe com as chamadas de vídeo é inversamente proporcional ao tempo que se leva para abrir uma conexão. Nesse campo, integrações do Google Hangouts com aplicativos de comunicação como o Slack ou o Trello são uma mão na roda!

#5 Estabeleça no seu time regras para as reuniões de vídeo 
E cobre o cumprimento das mesmas. Assim os remotos irão se sentir reconhecidos e respeitados. Exemplo: cinco minutos antes da reunião, todos precisam parar o que estiverem fazendo e preparar o setup: câmera, microfone, ambiente, etc.

15 aplicativos fantásticos para aumentar a produtividade em diferentes momentos do dia

Não adianta ter a equipe alinhada e o melhor setup remoto se você não consegue produzir de forma consistente. O Trello dá algumas dicas de aplicativos que podem te ajudar e eu separei os mais interessantes aqui embaixo:


BÔNUS: Como encontrar a vaga remota dos sonhos e ser contratada

Por que o trabalho remoto é uma tendência?

  • 43% dos americanos gastaram algum tempo para trabalhar em casa no último ano
  • a cultura do trabalho remoto está se tornando cada vez mais forte nas empresas (alô RD, alô Trello!)

Dicas de ouro na hora de buscar por uma vaga remota:

  • Será que a sua própria empresa não está disposta a apostar no trabalho remoto?
    Antes de procurar fora, converse com seu gestor e apresente a proposta do trabalho remoto. Você pode até conquistar a chance de ser o primeiro embaixador remoto e um case de sucesso no futuro!
  • Cuidado com as vagas "não tão remotas"
    A empresa que deixa você trabalhar um dia ou outro de casa ou que dá mais benefícios a quem trabalha no escritório do que fora pode não ser tão remote-friendly assim.
  • Mostre que VOCÊ é remote-friendly
    Não adianta exigir que uma empresa tenha uma ótima comunicação assíncrona e que deixe o trabalhador remoto confortável se você não mostra que faz o mesmo. Ao aplicar para a vaga, descreva seu cronograma e deixe claro como e quando você vai realizar os testes exigidos. Esse comportamento dá segurança à empresa para confiar que você vai conseguir lidar bem com seu próprio tempo.
  • Saiba quais são as oportunidades que se encaixam ao seu perfil
    Cuidado ao aceitar qualquer trabalho remoto só pela ânsia de trabalhar para alguma empresa de fora. Muitas vezes as empresas contratantes não possuem uma cultura tão legal quanto às grandes (Google, Amazon, Facebook, etc). Assim como no Brasil, lá fora existem empresas legais e comprometidas com seus colaboradores e também empresas não tão legais e honestas — evite!

UPDATE: How to build a strong culture with remote employees

Elizabeth Hall, uma das principais cabeças da área de "Recursos Humanos" do Trello. Legendas (inglês) disponíveis

DICA FINAL: Estamos contratando na Resultados Digitais!
As vagas são preferencialmente para trabalho presencial, mas que tal mostrar seu conhecimento adquirido aqui e tentar descolar uma posição remota? ;-)