Conceitos de BSC,matriz SWOT, 5w2h, metas SMART já estão ultrapassados. Estas e outras técnicas estão ficando obsoletas…

Imagem cortesia de Celso Santos Gurgel

Então, não é que são ineficazes, mas sim ineficientes. Utilizamos até os dias de hoje muitas destas técnicas em projetos estratégicos e também táticos. Devemos muito à todas elas. Porém como tudo nessa vida, a evolução é eminente e para diversas empresas já é uma realidade, vamos explicar.

A problematização é a base epistemológica comum no segmento acadêmico assim como em negócios. Dissecamos os 'n' cenários em diversos problemas a serem solucionados individualmente e ao final juntamos as partes esperando que os resultados venham numa única somatória como um retorno positivo ou negativo, SUCESSO ou FRACASSO.

Estas técnicas, resumidamente, trabalham com pensamentos lineares ou no máximo em planos paralelos. Dialogando as diversas dialéticas. Isso cria realidades opositoras e conflitantes, gerando atrito entre pontos de vista e divergência entre os membros das discussões. Há mais tensão em um brainstorm dessa natureza e geralmente a política de egos acaba dominando o ambiente. Apenas aqueles com alta maturidade emocional, não só sobrevivem (apesar do desgaste), como lideram este tipo de trabalho.

Toda problematização é um PROBLEMA. O foco deveria ser na EVOLUÇÃO e não na SOLUÇÃO.

Agora a sociedade evoluiu para relações mais complexas, não que antes eram simples. Na realidade o ser humano por si só é um sistema complexo e aberto. Você já deve ter ouvido o chavão:

"Nenhum Homem é uma ilha."

Porém mesmo nós humanos sendo complexos, desde a revolução industrial que somos tratados como máquinas pelas instituições e organizações sociais. E por questões de segurança para garantia do crédito, recorremos à cultura, família, religião, governo, empresas, hierarquias e leis para nos aglutinar em habitats reconhecíveis, familiares e confortáveis, permitindo um fluxo de troca e desenvolvimento social constante.

O mundo encolheu, a sociedade cresceu e com ela também o risco…

Somente agora com uma sociedade mais inclusiva, globalizada e conectada digitalmente, que visualizamos o quão complexos nós somos. E agora o nosso antigo jeito de pensar cientificamente, não comporta mais a complexidade dos problemas que temos. Pois não é mais uma questão de tamanho. Não adianta somente ampliar a forma de analisar problemas isolados e/ou paralelos. Precisamos de uma mente unificadora, até mesmo por questões de eficiência, sendo que o fator tempo também é um plano de grande influência.

Então a tendência é desenvolver métodos de trabalhos unificadores, que abordam visões tanto abrangentes quanto específicas. E não de forma paralela, mas interligada ou inter-relacionada.

Como eu sempre digo: "é hora de matar vários coelhos com uma caixa d’água só" Cris Lindner

Agora chegou a vez de formar essa nova epistemologia que trabalha todas as dialéticas de forma agregadora e unificadora em idéias acertivas e aderentes ao cenário construtivo e não destrutivo como antes.

Não precisamos mais jogar o relógio na parede, para então tentar explicar como ele funciona somando as partes que voaram pelo chão.

Estas empresas já são complexas e pensam dessa forma.

As grandes empresas, principalmente no nível estratégico, já pensam de forma complexa. E se você não quer ficar pra trás precisa subir nesse vagão.

Agora, se quer ser locomotiva, temos algo a mais para oferecer. A Innovati.io criou uma evolução de pensamento complexo para fractal. E com esta nova dimensão, simplificou o raciocínio complexo. Ao ponto de abrir as portas para o "mistério" da mente criativa. Sim, agora há lógica e metodologia para o pensamento criativo.

Isso significa que não deva continuar estudando e utilizando estas velhas metodologias? Não… Claro que não, pois é uma evolução, sabendo fazer bem um SMART, 5w2h ou SWOT já é um ótimo começo. E servirá de base para a próxima etapa do PENSAMENTO FRACTAL.

Patrocinador deste Post: Complex Reasoning & Future Design ® Innovati | www.innovati.ws