Um sonho tornou-se realidade…

Estamos em Julho de 2005. Era eu Secretário-geral do Millennium bcp e da Fundação com o mesmo nome. Uma das prioridades estratégicas definidas para a Fundação Millennium bcp era a “promoção de iniciativas de dinamização da cultura de empreendedorismo nos jovens” e competia-me apresentar uma proposta neste âmbito ao Conselho de Administração.

Conversando com várias pessoas sobre este desiderato, um amigo meu fala-me das associações designadas por Junior Achievement já existentes em muitos países da Europa e dos seus programas de desenvolvimento de uma cultura de empreendedorismo nos jovens. Fiquei curioso e foi à procura de “junior achievement” na Internet. Encontrei www.ja.org e fiquei “enfeitiçado”. Não há dúvida: Os sonhos só se tornam em realidade quando são sonhados… Era isso mesmo! Mas como fazer algo semelhante em Portugal? Falei a esse meu amigo e tomo conhecimento que a Caroline Jenner, Directora-executiva da Associação Junior Achievement Europeia se deslocava na semana seguinte de Bruxelas a Lisboa para tentar criar a Junior Achivement Portugal a partir de um pequeno grupo de empresas multinacionais operando em Portugal, cujas casas-mãe já eram associadas da Junior Achievement noutros países. Pedi-lhe que me arranjasse uma reunião com ela, custasse o que custasse… e, apesar do programa apertado que tinha, lá se conseguiu marcar uma reunião. A Caroline vinha acompanhada por uma colaboradora da Brandia Central, a Joana Loureiro, que eu não conhecia mas que, apesar da enorme barriga de quase nove meses, conseguiu secundar a Caroline em me levar a concluir que o “filão de ouro” do empreendedorismo que eu procurava estava ali. A partir dali, tinha apenas os dias de Julho que sobravam para juntar um número mínimo de empresas que formassem o pelotão do caminho que iriamos percorrer. As multinacionais contactadas já tinha dado a promessa do seu apoio, mas para mim era essencial que o arranque da Junior Achievement Portugal fosse liderasse por grandes empresas portuguesas. Não parei nas duas semanas seguintes, mas a mensagem da Junior Achievement abriu todas as portas.

Uns rápidos minutos de apresentação a Alexandre Soares dos Santos, Presidente da Jerónimo Martins, a Paulo Teixeira Pinto, Presidente do Millennium bcp, a Francisco Sanchez, Presidente da EDP, e a Vasco de Mello, Presidente da Brisa, foi o suficiente para estas quatro grandes empresas se juntarem ao grupo de empresas anteriormente contactado pela Caroline: Brandia Central, Citigroup, Egon Zehnder, GE, HP, Microsoft e Vieira de Almeida & Associados. E em Setembro fez-se a escritura da Junior Achievement Portugal (Aprender a Empreender). Simultaneamente era necessário encontrar uma Directora-executiva para Portugal. A selecção foi feita pela Egon Zehnder. Vários candidatos apareceram, mas o trabalho da Egon Zehnder foi muito facilitado. É que apareceu um candidato imbatível. Quem? A Joana Loureiro, que se dispunha a deixar um trabalho seguro na Brandia Central para abraçar a “aventura” da Junior Achievement Portugal.

A Joana veio a demonstrar ser uma líder sem paralelo, transmitindo a sua marca de “competência, profissionalismo, dedicação e entusiasmo” a todos à sua volta. Sem desprimor para todos os que tornaram o sonho em realidade, a Joana deixou a Junior Achievement Portugal carimbada para todo o sempre com aquela sua marca.

Lisboa, 1 de Julho de 2015