O Poder de Começar Algo Estúpido, por Richie Norton

Redesenho baseado no livro The power of starting something stupid, por Richie Norton e Natalie Norton.

Nossas ideias podem envolver muito mais do que conseguimos enxergar neste momento. Talvez ela seja apenas o início de algo muito especial.

Quantas ideias você já abandonou por considerá-las estúpidas ou por ser desencorajado por outras pessoas? As ideias mais inovadoras da história já foram rotuladas como estúpidas. Porém, a história mostra que essas ideias serviram como gatilho para alguns dos maiores sucessos atuais.

A opinião de outras pessoas não definirá o sucesso de sua ideia

Muitas pessoas tendem a rotular novas ideias como estúpidas. Insegurança, pouco conhecimento e resistência à mudança são algumas das razões. Ao invés de nos decepcionamos com uma opinião negativa, pode ser que na verdade estamos no caminho certo.

Inúmeras ideias que revolucionaram o mundo foram alvo de muitas críticas e enfrentaram diversos desafios e desaprovação:

  • A primeira empresa fundada por Bill Gates, Traf-O-Data, fracassou miseravelmente.
  • O primeiro livro de Stephen King foi rejeitado 30 vezes, até que ele desistiu e o jogou no lixo. Sua esposa, Tabitha, o convenceu a terminá-lo. Hoje, seus livros já venderam mais de 350 milhões de cópias.
  • Jay-Z tinha o sonho de se tornar um rapper famoso, mas o mundo não concordava com ele. Nenhuma gravadora quis assinar um contrato com o rapper. Jay-Z decidiu então criar sua própria gravadora (Roc-A-Fella Records), que chegou a ter o seu valor estimado em 500 milhões de dólares! O rapper também foi eleito em 2013 uma das pessoas mais influentes do mundo pela revista Times.

A lista vai longe. Bem longe: Vincent Van Gogh, Steven Spielberg, Steve Jobs… todos eles foram inicialmente rejeitados pelo mundo.

Porém, essas pessoas persistiram em suas ideias e estavam DECIDIDAS a torná-las reais. Elas sabiam que valia a pena lutar por um objetivo e amavam o que faziam. Trabalhar naquilo que acreditavam era, na verdade, um prazer.

O sucesso e o dinheiro não eram sua principal motivação, mas se tornaram uma consequência. O sucesso tornou-se o resultado de querer mudar o mundo através de uma grande ideia.

Não crie desculpas

“Se você realmente quiser fazer algo, encontrará um jeito. Se não quiser, encontrará uma desculpa.” ― Jim Rohn

Chegar ao final da sua vida, olhar para trás e se arrepender de não ter feito aquilo que deveria ter sido feito pode ser um dos piores sentimentos da vida de uma pessoa. Não haverá mais energia e força para trabalhar com afinco naquilo que você não fez. Será tarde demais.

É como se lembrar que você deveria ter feito mais por um ente querido somente após a sua morte. É sempre tarde demais.

O que acontece hoje em dia é que as pessoas sempre acabam adiando seus objetivos, como se nosso tempo fosse ilimitado. Como se imprevistos e problemas nunca pudessem nos afetar.

Muitos dizem: “quando eu conseguir juntar dinheiro suficiente, vou começar a trabalhar no meu sonho”. E, no final, nunca conseguem o surreal “suficiente”. Essas pessoas acabam gastando a maior parte de suas vidas contando salários enquanto seus sonhos desvanecem lentamente.

Jeff Bezos certa vez disse: “No final, não nos arrependemos do que fizemos, mas sim do que não fizemos”. Ao imaginar a si mesmo como um homem velho, refletindo sobre sua vida, Bezos decidiu deixar seu emprego promissor em Wall Street e fundar a Amazon — uma das 5 maiores empresas do mundo.

Não crie desculpas! Não coloque a culpa na falta de tempo ou dinheiro. A verdade é que os únicos responsáveis pelo que fizemos ou deixamos de fazer somos nós mesmos.

Divida sua ideia em projetos menores

“Roma não foi construída em um único dia” e, provavelmente, a sua ideia também não será.

Reflita sobre os maiores projetos já produzidos pelo homem: desde as maiores obras de engenharia do século até a incrível complexidade de uma missão no espaço. Todos esses projetos, por maiores e mais complexos que pareçam, foram divididos em vários projetos menores, dividindo assim sua complexidades. Aquele projeto que então parecia imenso e impossível torna-se mais fácil de se realizar e de ser gerenciado.

O mesmo vale para grandes ideias. A partir do momento que dividimos uma grande ideia em diversos passos menores, somos capazes de identificar qual o melhor caminho a ser seguido e por onde começaremos a trabalhar.

Essa é uma técnica amplamente utilizada por gerentes de projeto ao planejar os mais complexos projetos. É uma adaptação do famoso “dividir para conquistar”.

Por exemplo, se o seu projeto é criar um blog de sucesso, você poderia começar por tarefas menores como: escrever determinado número de artigos, trabalhar na identidade visual do blog ou definir o nicho dos assuntos sobre os quais você pretende escrever.

“Uma longa caminhada começa com o primeiro passo.” — Lao-Tsé

Ao concluir cada pequena etapa do seu projeto, você será recompensado com uma nova dose de motivação e também conseguirá avaliar se está no caminho certo.

Existe um mundo de oportunidades fora de sua zona de conforto

Lembre-se que, fora da sua zona de conforto, você não estará, de fato, confortável com as coisas que irão acontecer. Desafios e problemas serão sempre esperados, mas nunca serão permanentes.

Mantenha em mente o porquê você está onde está. Pendure no seu quarto, na geladeira, onde preferir, mas mantenha sempre visível o seu objetivo. Isso irá ajudar com a motivação e determinação que você precisa quando passar por desafios e problemas que vão, sim, acontecer ao longo de sua jornada.

À medida que você conquistar pequenas vitórias, superar pequenos problemas e continuar a sua jornada, você estará preparado para confrontar problemas e dificuldades maiores. Saiba dar o devido valor aos desafios e problemas à medida que acontecem.

(O livro O Obstáculo é o Caminho, por Ryan Holiday, discute exatamente esta abordagem.)

Foque nas atividades principais. Ao desenvolver um aplicativo, não perca horas comparando todas as linguagens de programação existentes no mercado ao invés de simplesmente começar com a que você já sabe.

Feito é melhor do que perfeito. Ao criar um blog, não desperdice longas horas trabalhando no design de seu site ao invés de focar na criação de conteúdo de qualidade. Identifique o mais importante e trabalhe nisso.

Interaja

Sempre é possível melhorar algo. Ao conversarmos e compartilharmos informações com outras pessoas, somos capazes de ampliar nosso campo de visão e entendimento sobre os diversos assuntos.

Passe tempo com pessoas que possam contribuir com o seu trabalho. Junte-se à grupos ou comunidades na internet, faça perguntas, compartilhe ideias e experiências. Leia sobre a vida de pessoas que estão em uma jornada similar à sua.

Compartilhar nossos planos com outras pessoas criará em nós mesmos uma motivação adicional para continuarmos trabalhando por nosso objetivo.

Conclusão

A mensagem principal deste livro é:

  • Aquela ideia que grita por atenção em sua mente, neste exato momento, pode nunca se tornar realidade se você não começar agora mesmo.
  • Comprometa-se a trabalhar em algo novo, esteja disposto a aprender, saia de sua zona de conforto.
  • Rejeite desculpas tais como: falta de tempo, dinheiro ou experiência.
  • Lembre-se que o pior e mais amargo arrependimento é daquilo que não fizemos.

Abrace as suas ideas. Agora!

Redesenhe-se.