Eu me permito imaturidade.

Ferris Bueller’s Day Off — John Hughes (1986)

Existem pessoas que conseguem agir de maneira natural em momentos de mágoa. Elas lidam com o assunto como se não fosse algo tão importante assim, ou então elas preferem resguardar o que sentem somente para si mesmas. Talvez elas sejam mais fechadas, mas o fato é que elas seriam consideradas pessoas maduras. Por não terem chorado, explodido, ficado na bad, ou não terem sentido vontade de socar todo mundo que passava na sua frente. Por terem guardado sua tristeza somente para si, não terem sentido raiva do outro, não terem feito um escândalo e nem deletado ele do facebook porque, afinal, isso seria o ápice da imaturidade. Foda-se que ele foi um babaca.

Bom, nesse caso, eu sou uma pessoa imatura. E para caralho. Mas eu não sou alguém imaturo para todas as situações, eu sou imaturo para situações imaturas. É parecido com um “se ele te bateu vai lá e bate de volta”, mas não precisa ser tão literal e ser aplicado a tudo. Porém, existem situações que eu não sei só ignorar e resguardar aquilo para mim porque, afinal, se me atacar eu vou atacar.

E eu não to falando só de namorinho não tá? To falando de amizades, família, a porra toda!

Então se você for babaca comigo, eu me permito imaturidade. Eu vou chorar, eu vou escrever textão no meu medium pensando em você, eu vou querer rasgar sua cara no asfalto e eu com certeza absoluta vou te excluir do meu facebook e te bloquear das minhas redes sociais. Vou criar um milhão de diálogos imaginários onde em todos eles eu vou sambar na sua cara com um salto 15 enquanto você me implora por perdão, vou falar sobre como você foi mais uma das decepções que eu tive, vou deletar nossas fotos juntos e as postagens que te marquei. Eu vou me permitir sentir e extravasar tudo que vai surgir aqui dentro: tristeza, raiva, angustia, vontade de te esfaquear todinho.

E se eu te trombar por ai, eu não vou ser o cara maduro que vai cumprimentar você e seus amigos ou seu namorado. Eu vou te mandar ir tomar no cu. Ou eu vou passar reto quando você abrir um sorriso para mim. Não vou te tratar bem, não vou fingir que nada aconteceu e eu posso até não guardar mais mágoa ou raiva de você, mas eu também não esqueci. Quando eu seguir em frente, é porque para mim, você morreu. E lugar de gente morta é bem longe de mim, obrigado.

Então os adultos que me desculpem, mas eu não sei fazer isso, não sei ser indiferente, não sei ser “maduro”. Não quer me ver ser infantil e imaturo? Não me coloque em situações assim. Eu não sou obrigado a nada e você não precisa ser um babaca.


#TEDS
Se você gostou deste texto, não se esqueça de recomendar ele e compartilhar no seu facebook para ajudar na divulgação deste blog! AH! E se puder, dá follow aqui no Medium também ok?
Aproveita e se inscreve no meu canal do youtube também! Prometo que tem uns vídeos legais, sério:
https://www.youtube.com/c/RenaneasFocas
Instagram fotográfico: https://www.instagram.com/renanoliveira.f/
Instagram pessoal: https://www.instagram.com/abookofmemories/
Twitter: https://www.twitter.com/renancalabok