Isso é o que eu quero de um relacionamento.

E relacionamento não significa namoro.

Frances Ha — 2012, Noah Baumbach.

Nós não precisamos namorar. Não precisamos dedicar nossos corpos e total disposição somente um ao outro. Não hoje, não agora. Nós podemos antes de tudo, sermos amigos. Mas não amigos coloridos, que são “brothers” que fazem sexo, mas amigos com afeto. Amigos com afeto que fazem sexo seria uma definição perfeita. Podemos sair para ir ao cinema e ver um filme juntos para depois jantar naquele restaurante italiano que eu adoro, mas você não precisa me apresentar para sua família ou mudar seu status de relacionamento do facebook daqui dois meses. Quero poder te falar sobre como gosto do jeito que você me olha, ou sobre como eu adoro quando você me abraça, e isso não implica que somos um casal. É só uma liberdade sentimental desprovida de rótulos. Eu desejo que você saia com outras pessoas e me conte suas aventuras, assim como eu quero poder te contar as minhas. Talvez você até mesmo se apaixone por outra pessoa e venha me contar sobre essa sensação sem nenhum medo de me magoar, pois eu também posso me apaixonar por outro alguém e sei que você será meu maior confidente. Não precisamos de presentes nas datas comemorativas, mas não precisamos ter medo de presentear um ao outro. Quero que isso seja entre nós. Quero que isso fique entre nós. Não precisamos ir para todos os lugares juntos nem darmos satisfação um para o outro, mas não seria nada mal aceitar meu convite para um show. E não é somente porque existe sexo nesse relacionamento, mas porque você gosta da minha companhia. Quero que você goste de mim sem achar que nossa relação é puramente sexual pois eu não sou descartável e não quero que você seja. Quero que viajemos escondidos da família e amigos, que troquemos nossos nomes e sotaques dizendo que amamos coisas que odiamos enquanto conversamos com desconhecidos em um bar somente por excentricidade ou aventura. Quero que existam nossas vidas fora disso, para existir uma liberdade de cuidar da carreira ou estudos e qualquer outra coisa que importe nesse momento. E não desejo que isso seja unilateral. Não desejo que somente um de nós tenha toda essa liberdade, da mesma forma que não desejo ser apenas um plano emergencial para uma sexta solitária. Mas se você precisar de mim numa sexta solitária, eu estaria lá, assim como eu esperaria o mesmo de você. E nós não usamos alianças, não tiramos ou postamos fotos juntos no instagram e nem no facebook. Não falamos para nossas famílias. Não brigamos um com o outro e não temos segredos um do outro. E pode parecer que estamos apaixonados, mas só estamos sendo gentis e legais, suprindo uma carência do jeito mais moderno possível. E sabemos que no fundo gostamos muito mais um do outro do que vários casais que encontramos por aí na Avenida Paulista. Nosso relacionamento só diria respeito a nós. E se um dia você se apaixonar por mim, não precisa ter medo de me contar. Se um dia você me quiser somente para você, tudo bem. Talvez possamos dedicar nossos corpos e disposição somente um ao outro.

Quem sabe hoje, quem sabe agora, depois de já termos escrito o prólogo de uma história.

Se você gostou deste texto, não se esqueça de recomendar ele e compartilhar no seu facebook para ajudar na divulgação deste blog! AH! E se puder, dá follow aqui no Medium também ok?

Aproveita e se inscreve no meu canal do youtube também! Prometo que tem uns vídeos legais, sério: https://www.youtube.com/c/RenaneasFocas

Instagram fotográfico: https://www.instagram.com/renanoliveira.f/

Instagram pessoal: https://www.instagram.com/abookofmemories/

Twitter: https://www.twitter.com/renancalabok

Renan, cê só sabe reclamar

Espaço de histórias e pensamentos, completos ou não.

Renan Oliveira

Written by

https://www.instagram.com/renf__/

Renan, cê só sabe reclamar

Espaço de histórias e pensamentos, completos ou não.