Matemática para saber se você é um escravo contemporâneo

A discussão sobre a necessidade real em fazer um desfile ou não só vai ser palpável quando as marcas abrirem os números de quanto gastam, quanto ganham de patrocínio, quanto dessa coleção vende, o que vira marketing, dentre muitas outras questões.

(No final do texto tem uma novidade!)
Na minha exploração por Barcelona, visitei o departamento de criação da Zara (grupo Inditex) e Mango, o legal é que eu estava junto com players brasileiros grandes e muitas questões foram levantadas.

Os designers “bem remunerados” tem que entregar 100 protótipos por semana, com um salario de 3k, o cara ganha em média 7,5 euros por modelo desenvolvido. Parece justo?!

É 20 minutos de barcelona na verdade

Bom, mas a conta real não é essa, a certa é calcular a representatividade dele, frente ao lucro total, já que, a responssa está sobre as vendas, se não vender, ele são demitidos. Cada peça aprovada é reproduzida 15mil vezes (cálculo médio) então, multiplique a quantidade total de peças produzidas e modelos feitos e divida pelo salário, um “designer” nessas empresas recebe muito menos do que um escravo em bangladesh. (Escravo cool!)

A introdução foi pra dizer que a Alana está chegando na Trendt, ela é essa tal da inteligência artificial, só que aplicada na moda.

Não tem segredo, é só apresentar pra ela as modelagens básicas, detalhes da estação e tendências, cores disponíveis, um report do que funcionou nas últimas coleções e pronto, gera-se centenas de modelos por dia, aí é que entra a nossa parte, criticar, observar, questionar e aperfeiçoar.

Autodesk Dreamcatcher — computer generated design
Enquanto a Alana não me tira do meu cargo, eu tomei uma decisão, vou gastar o tempo que eu tenho pra absorver conhecimento.

Não vou induzir os “clientes” a gastarem o dinheiro deles por impulso. Estamos entrando num momento de crise (sendo substituídos por robôs), optei por estimular as pessoas a pouparem grana, criar e ensinar a investirem o dinheiro delas em assets que geram valor a longo prazo.

Por isso, a Trendt vai lançar só um produto novo por mês e olhe lá…

Em setembro, o projeto de alugar roupas da marca pras pessoas poderem vestir a coleção pagando um valor simbólico e fixo por mês entrou no ar lá na House of Bubbles.

Foto por Victor Nomoto
Hoje, finalmente chegou o lançamento do UPGRADE da nossa famosa calça que já conquistou o coração dos jovens, dos idosos e até dos publicitários.

O tecido continua com o mesmo peso e caimento, ele tem 350gr/m2 (pra quem entende) ou seja, conforto de uma calça de moletom tipo nike tech fleece, o aspecto é de uma calça chino (jeans/social), só aqui, já temos uma vantagem significativa, a versatilidade:

Ela foi pensada pra diversos momentos do dia: meeting com o cliente coxa, festa da agência, after na trackers e cama!
A novidade é que o tecido tem um acabamento, que, as pessoas o intitularam de: “skin touch” (não precisa de explicação).
Já, no tingimento preto, removi o corante vermelho, quando presente, ele absorve os raios UV e os transforma em calor, isso significa que agora, sem ele, sob um sol escaldante ou num frio desses últimos dias, a calça, mantém o microclima corporal estável.
A diretora global de sustentabilidade da Inditex, segurando o Biosoftness na sua casa

E, por final, o mais emocionante é que as peças vem com Biosoftness, aquela tech que eu fui premiado nos EUA que transforma a roupa num produto sustentável, eliminando a necessidade de lavar após certo tempo de uso.

Que nos faz economizar tempo, preservar a cor e toque do tecido, e, economiza milhões de litros de água por conta da lavagem residencial.

Já estou a 3 meses vestindo diariamente a mesma calça, e, a prova de fogo, é dar pra um desconhecido, sentir o cheiro “acabei de ser comprada” que ela ainda preserva. Nesse meio tempo, aconteceram alguns imprevistos, um carro passou próximo da guia e espirrou lama nela (lenço umedecido limpou), teve um dia que ela ficou com cheiro de poluição depois de tanto caminhar pela marginal pinheiros, deixei ela 3 dias pendurada no varal e tudo voltou ao normal, estava nova.

Foto por Victor Nomoto
Não quero gerar ansiedade mas como elas não estragam, eu produzi bem menos peças e hoje será lançada na inauguração da Cartel 011 do shopping JK, as 19h; vai ter aquele coquetel com canapés e Djs e também a fila pra sentir a peça, provar, comprar, ou, se elas esgotarem no mesmo dia, vai ter que rolar uma encomenda (só me mandar um email)