Uma pequena aula de coisas óbvias sobre marketing digital

É preciso MUITA GENIALIDADE para perceber o óbvio. Por isso tão poucas pessoas o fazem…

Leia mais: Somos Profissionais de Marketing

Atualização (Janeiro/2017): Este texto foi originalmente postado no link http://www.renatosiqueira.com.br/2014/06/uma-pequena-aula-de-coisas-obvias-sobre.html em 2014. Alguns conceitos foram revistos, outros ampliados e ainda outros, se tornaram obsoletos. Mas a única coisa que continua sendo válida, e SEMPRE será, é que o P mais importante do Marketing é o P de PESSOAS! ❤️

Eu não me considero um grande especialista em Marketing Digital. Acho que sou mais "especialista em pessoas" do que em Marketing. Mesmo assim, acredito que estas pequenas dicas podem representar um excelente ponto de partida para muitos profissionais e gestores, no que diz respeito ao relacionamento com seus clientes no ambiente online.

As PESSOAS são o "P" mais importante do Marketing. Uma pena que POUCOS são os profissionais de Marketing que compreendem isso!

1- Pessoas odeiam preencher formulários.

Se você colocar um formulário ao lado do seu telefone, a tendência é que as pessoas liguem. Faça um teste!

Segundo um dos maiores especialistas em conversão da atualidade, Neil Patel, formulários com muitos campos geram "atrito" e diminuem MUITO o número de conversões.

FONTES:
http://neilpatel.com/br/blog/7-dicas-de-como-aumentar-a-geracao-de-leads-com-formularios-em-ate-672/
https://www.smashingmagazine.com/web-form-design-showcases-and-solutions/
Formulários: MENOS é mais! SEMPRE!

2- Facilite a vida do seu cliente: Deixe o preço VISÍVEL!

Seu cliente está ocupado. PONTO!

Fazer divulgação de um produto sem o preço faz o usuário perder seu precioso tempo atrás dessa informação. E nem sempre eles terão tempo para procurar a informação! Hoje, você tem pouquíssimo tempo para atrair e reter a atenção do seu cliente. Se ele sair do seu site, você perdeu o cliente. Simples assim.

Ninguém se prende mais a determinados momentos para pesquisar e tomar decisões. A previsibilidade dos desktops cedeu lugar às interações fragmentadas, viabilizadas pelo uso intenso dos dispositivos mobile, principalmente dos smartphones. Até o final de 2015, mais de 53% das buscas no Brasil, feitas no Google Search, virão dos dispositivos móveis, segundo análise interna, baseada no crescimento mensal de celulares e tablets entre o primeiro semestre de 2014 e 2015.
Nesse novo contexto, as decisões passaram a ser tomadas em instantes de impulso, gerados a partir de uma necessidade que não tem mais hora marcada para se manifestar. Tudo está acontecendo ao mesmo tempo. Vivemos na era do imediatismo. Estamos checando a hora, mandando mensagens, assistindo a vídeos, conversando com amigos e compartilhando nas redes sociais, a qualquer momento; seja em casa, no trabalho, no ônibus, na rua, no shopping center, em qualquer lugar. Os usuários de smartphone no Brasil, por exemplo, olham, em média, mais de 86 vezes por dia para os seus telefones.
Em meio a tudo isso, a atenção desse usuário é dispersa.
Fonte: Think With Google — A Revolução dos Micro Momentos

Se a pessoa não gostar do seu preço, não vai comprar. Se você acha que seu preço vai causar o desinteresse do seu cliente, é porque seu produto não agrega nada ao cliente que seja diferente da concorrência. Se você concorre APENAS em preço, você deveria rever seu processo de marketing.


3- Remarketing é uma ótima ferramenta, desde que saibam usar (e poucos sabem)

Conheço pessoas que adorariam nunca mais ver na frente qualquer divulgação de um site de tanto que se sentiram “perseguidas” por ele. Remarketing vende sim, mas se seu cliente não quer comprar, não adianta “gritar” a oferta para o cliente. Isso só causa frustração e antipatia por sua marca. Tenha limites.

Se você não souber trabalhar seu remarketing de forma estratégica, é provável que seu cliente fique bastante frustrado com você, ou até mesmo bloqueie seus anúncios. E eu acho que você não deve estar querendo que isso aconteça, não é verdade?

FONTES:
http://neilpatel.com/br/o-que-e-remarketing-o-guia-passo-a-passo/
https://moz.com/ugc/the-power-of-email-remarketing

4- Qualidade é MELHOR do que quantidade

É sempre melhor se contentar com poucas visitas no site, porém de pessoas que tem interesse real no produto/serviço, que com milhões de visitas que caíram ali de para-quedas (o mesmo vale para sua página no Facebook). Faça um trabalho bem feito de planejamento e estratégia de marketing. Trabalhe no aumento da conversão, ao invés de números “para vaidosos”. Lembre-se: Likes não pagam contas!

Fontes:
https://endeavor.org.br/como-evitar-metrica-vaidade/
http://resultadosdigitais.com.br/blog/voce-mede-seus-resultados-em-marketing-digital-pelas-metricas-de-vaidade/
LEMBRE-SE: Se as métricas que você está coletando não possuem uma conversão direta em retorno financeiro, elas podem ser apenas métricas de vaidade. E, em Marketing Digital, vaidade custa caro. MUITO CARO!

5- O consumidor compara seus preços com dos seus concorrentes.

E hoje em dia, cada vez mais, isso se torna mais fácil e mais rápido. Lembre-se: Não trabalhe com base em preço. Este é o último “P” do Marketing que você deve alterar. Quem começa a trabalhar o mix de marketing pelo preço já perdeu pra concorrência.

FONTES:
http://www.fecomercio.com.br/noticia/maior-acesso-a-internet-muda-comportamento-do-consumidor-online
http://www.supervarejo.com.br/fator-preco-altera-comportamento-do-consumidor-na-crise/
https://ecommercenews.com.br/noticias/pesquisas-noticias/garantias-de-precos-baixos-tem-efeitos-negativos-no-comportamento-do-consumidor
http://computerworld.com.br/conheca-dez-comportamentos-de-risco-do-consumidor-digital-no-brasil
É fundamental levar em consideração que seu cliente, umas das forças de Porter, irá levar a variável de Marketing "PREÇO" em consideração no momento de uma decisão de compra. E se o preço for seu único diferencial, você estará em SÉRIOS apuros!

6- Feriados são feriados. Online ou Offline

Estude e tenha em mente o comportamento do seu público alvo em feriados e datas comemorativas. Entenda que ninguém vai deixar de curtir um feriado só pra navegar pelo seu site. Feriados representam queda nos números em grande parte dos casos (Há exceções… óbvio!). Programe-se para usar estes dias de forma estratégica.

Além disso, é FUNDAMENTAL que seu site, ou ecommerce, seja PERFEITAMENTE FUNCIONAL no mobile, já que de forma geral, durante as férias, as pessoas praticamente não usam desktops ou notebooks. MAS, com certeza, USARÃO SEUS SMARTPHONES praticamente a cada momento, já que os usuários de smartphone no Brasil, por exemplo, olham (em média) mais de 86 vezes por dia para os seus smartphones. TODOS OS DIAS!

Você nunca sabe se o cliente que vai comprar de você estará na praia, no shopping, no ônibus, no restaurante ou no banheiro! Esteja preparado para o Mobile! Se seu site não rodar com EXCELENTE desempenho no mobile, você está perdendo vendas. Simples assim!


E você? Tem alguma dica que gostaria de adicionar a esta lista (Sim, se você tiver, eu publico aqui e te dou o crédito)? Acha que as dicas qeu foram dadas são pertinentes? Concorda em parte? Discorda em parte? O que você acha que poderia ou deveria ser feito para mudarmos a mentalidade dos empresários que ainda não compreendem bem o funcionamento do Marketing, mesmo depois de tantos anos? O que acha de dividir com a gente sua opinião e trazer novas fontes?

Leia Mais:

Gostou?

Então ajude este texto chegar a outras pessoas clicando no ícone ❤️ e compartilhando em suas redes sociais…

É fácil, e vai ajudar MUITO, tanto a mim quanto às pessoas que precisam ler sobre o tema que discutimos aqui! 😍

Novamente, OBRIGADO!

=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=-=

🎯 Renatho Siqueira MBA™ ® 🎓

Mestrando em Novas Tecnologias Digitais na Educação, Consultor de Marketing e Comunicação em Meios Digitais, Professor de Pós Graduação e MBA

CRA-RJ: 03–01398 / SinproRJ: 61.884–5

renatho@renatho.com.br / www.renatho.com.br

(21) 99959–0800 / (21) 98231–5231

“Marketing é satisfazer as necessidades do cliente.” — Kotler

“Marketing é tão básico que não pode ser considerado uma função isolada. É o negócio inteiro, cujo resultado final depende do ponto de vista do cliente.” — Drucker