340.


“A gente tá dando murro em ponta de faca,
a gente não dá dando murro em coisa alguma, 
você ta dando murro em ponta de faca, 
e fazendo nó em pingo d’água, 
e algum outro trocadilho ou ditado ou frase feita,
que signifique o trabalho hercúleo,
a força incrível,
o despedaço,
e a síncope do trato que você me tem,
e o que tu faz.

Eu comodo, tu concisa,
preto no branco,
imagina teu quarto, 
um mapa e o preto, e o branco, e o espaço,
muito branco no espaço,
muito espaço entre a gente, 
e o incômodo na comoda, 
eu todo bobo, idiota,
né?

Já deu de ideia torta, e rima fixa, e motivo seco, e concretude.

Pera, concretude é bom.

E eu sou água. Acontece.

Mas a gente muda.”