Exclusivo: assista a “Procure”, filme baseado em música de Rico Dalasam

Curta-metragem protagonizado pelo rapper é cinema de ação entrecortado por cenas homoeróticas e imagens de shows

Cena de “Procure” (Foto: Divulgação)

De Lemonade de Beyoncé ao Bluesman de Baco Exu do Blues, artistas pop têm ampliado cada vez mais suas narrativas audiovisuais para além do videoclipe. A ideia não é nova — basta lembrar dos filmes dos Beatles ou do longa-metragem de Prince que acompanhou Purple Rain. Por outro lado, o ambiente das redes no qual esses filmes circulam hoje é marcado pela disputa acirrada de atenção, o que exige dos cantores que produzam imagens de impacto.

A nova superprodução na praça é Procure, baseado na música homônima de Rico Dalasam lançada em 2017. Protagonizado pelo rapper, o curta-metragem de quase 20 minutos tem ares de cinema de ação entrecortado por cenas homoeróticas e imagens de shows. Na trama, Dalasam é um trabalhador portuário que é traído por Talles, namorado envolvido com tráfico de drogas e policiais corruptos. Noutro plano narrativo, Rico aparece já como artista — no camarim, no palco, dando entrevista — , sugerindo a possibilidade de uma outra vida.

“Antes de qualquer filmagem, tive vários encontros muito íntimos com o Rico, onde nós apenas conversávamos sobre coisas bem particulares dele e eu tomava notas”, diz Gui Tensol, diretor e roteirista do filme. “O argumento surgiu dessa colcha de retalhos costurada com memórias e vivências do Ricardo — muita coisa linda, mas muita coisa bem pesada também, bem dolorosa”, completa.

“Eu passei um tempão em 2017 contando sobre minha vida para o Gui, e em certo tempo ele me apresentou o roteiro”, conta Rico Dalasam, que considera o curta uma mudança em relação aos clipes que fez até hoje. “Se nas minhas obras audiovisuais anteriores eu discuti minha existência dentro de uma adolescência, esse filme traz o papo para o início da vida adulta, relações de trabalho, relacionamento afetivo, responsabilidade — tudo a partir do lugar específico da minha existência bixa, preta e chefa!”, conclui.

Sobre as cenas de intimidade e de violência, Tensol diz que tentou criar um ambiente confortável para o elenco. “Dois momentos muito delicados para mim foram as sequências de sexo e de morte — não tinha como fazer ‘fingindo’. E eles mandaram ver. Para filmarmos, fiquei nu no set junto com os atores para ajudá-los a se sentirem seguros”, diz.

Assista com exclusividade na Bravo! ao filme Procure: