Conheça os finalistas ao Prêmio Bravo! de Cultura de Melhor Exposição Individual

Fotógrafo Mauro Restiffe e as artistas plásticas Rosana Paulino e Teresinha Soares concorrem. Veja quem participou do júri

Nada melhor que discutir e consumir arte para responder aos recentes protestos conservadores, censuras e auto-censuras das exposições no Brasil em 2017. Para esta segunda edição do Prêmio Bravo! de Cultura 2018 desde que a revista é publicada por editores independentes, convidamos um time de 20 jurados para selecionar, cada um, as suas 10 exposições individuais preferidas de 2017. Segundo os critérios que adotamos, os votos válidos deveriam ser apenas aqueles que elegessem mostras de artistas vivos, que estrearam em 2017 e que fossem individuais. Sendo assim, ficaram fora mostras coletivas e retrospectivas de artistas que já nos deixaram.

O júri foi composto pelas artistas Giselle Beiguelman, Leda Catunda e Sandra Tucci; pelos curadores e curadoras Alecsandra Matias, Kiki Mazzucchelli, Heloisa Espada, Isabela Rjeille, Leno Veras, Luise Malmaceda, Natália Quinderé, Paulo Myiada, Thais Gouveia e Thyago Nogueira; pelas críticas Diane Lima e Sylvia Werneck; pela jornalista Gisele Kato e pelas professoras e pesquisadoras Ana Paula Simioni, Daniela Queiroz Campos, Fernanda Pitta e Mariza Bertoli.

As três exposições mais votadas foram: Álbum, de Mauro Restiffe; Paraíso Tropical, de Rosana Paulino e Quem tem Medo de Teresinha Soares?, de Teresinha Soares. No ano passado, quem levou o prêmio foi Leta Catunda, com a exposição I Love You Baby. Veja, a seguir, um pouco sobre concorrentes de 2018.

Mauro Restiffe, Álbum — Pinacoteca de São Paulo

“Dinner Party”, de Mauro Restiffe (Divulgação)

Repasse na trajetória do fotógrafo Mauro Restiffe, a exposição Álbum, com curadoria de Rodrigo Moura, reuniu imagens em preto e branco produzidas com a mesma câmera fotográfica há mais de 20 anos. Fotos de arquitetura, de personalidades e do cotidiano de Restiffe dividiam a mostra em três seções.

Rosana Paulino, Paraíso Tropical — Centro Cultural São Paulo

Paraíso Tropical, de Rosana Paulino (Divulgação)

"Classificar é saber?", pergunta Rosana Paulino numa das gravuras da exposição Paraíso Tropical. Mesclando imagens de pessoas escravizadas, trechos iluministas e imagens da ciência do século 19, a artista questiona o poder de produzir conhecimento — afinal, naquela época, a convenção da escravidão passava também pelo crivo da razão.

Teresinha Soares, Quem tem medo de Teresinha Soares? — Museu de Arte de São Paulo (Masp)

Xifópagas Uterinas, de Teresinha Soares (Jorge Bastos/Divulgação)

No ano em que o Masp discutiu as diversas histórias da sexualidade, recuperou a obra da artista Teresinha Soares, mineira de Araxá que passou mais de 40 anos fora do radar do grande circuito de artes. A mostra reuniu grande parte da produção de Soares, abordando temáticas como a do corpo feminino, da lisergia e do erotismo. Rodrigo Moura e Camila Bechelany foram os curadores.

Cada jurado da Academia Bravo! elegeu até 10 exposições que julgou serem as mais importantes do ano. Reunimos aqui todos os indicados mencionados:

50 Anos de Bovinocultura, Panorama Comemorativo, Humberto Espíndola (Sesc Morada do Baís/MS), A Forma Condutora dos Fluxos Dominantes, Daniel de Paula (Galeria Jaqueline Martins/SP), Álbum, Mauro Restiffe (Pinacoteca de São Paulo/SP), Alistamento, Éder Oliveira (Galeria de Artes Franco Melchiorri/RR), Ameríndios do Brasil , Renato Soares (Shopping Morumbi/SP), Assentamento, Jaime Lauriano (Galeria Leme/SP), Altamira, Caio Reisewitz (Pinacoteca/SP), Antonio Manuel, Antonio Manuel (Cassia Bomeny Galeria/RJ), Antonio Obá, Antonio Obá (Mendes Wood DM/SP), Besta Fera Pop Fauna, Raquel Nava (Galeria Alfinete/DF), Bestiário, Renato Larini (Espaço Zebra/SP), Boom, Alexandre da Cunha (Galeria Pivô/SP), Cinzas, Dora Longo Bahia (Galeria Vermelho/SP), Circulovisão, Jarbas Lopes (Galeria Luisa Strina/SP), Corte-Contaminação-Contato, Ricardo Basbaum (Galeria Jaqueline Martins/SP), Desdito, Lais Myrrha (Museu do Louvre Pau-Brazyl/SP), Domo, Vanderlei Lopes (Capela do Morumbi/SP), Don’t You (Forget about Me), Rafael Alonso (MAC Niterói/RJ), DramaFobia, Ana Mazzei (Galeria Jaqueline Martins/SP), É Preciso Ver no Escuro, Laercio Redondo (Silvia Cintra/RJ), Em Órbita: Telescópio Interior, Eduardo Kac, (Luciana Caravello/RJ), Envolvimentos, Wanda Pimentel (Masp/SP), Zoravia Bettiol, Espelho, André Severo (Galeria Bolsa de Arte/SP), Espelho D’Água, Luiz Braga (Galeria da Gávea/RJ), Estofo, Luiza Baldan (Galeria Anita Schwartz/RJ), Eu Armário de Mim, Letícia Parente (Galeria Jaqueline Martins/SP), Eu Só Vendo a Vista , Marcos Chaves (MAC-Niterói/RJ), Extremos, Ivan Padovani (SAO Espaço de Arte/SP), Faço Tudo Para Não Fazer Nada , Carlito Carvalhosa (Galeria Nara Roesler/SP), Fernanda Gomes, Fernanda Gomes (Galeria Luisa Strina), Fluxo Bruto, José Bechara (MAM/RJ), Foram ao Norte para Chegar ao Sul, Graciela Sacco (Zipper Galeria/SP), Fricção, Bernardo Ortiz (Galeria Luisa Strina/SP), Impregnação: em Torno do Desvio, Cildo Meireles (EAV Parque Lage/RJ), Improvável , Mario Ramiro (Zipper Galeria/SP), Jacarezinho 92, Ana Elisa Egreja (Galeria Leme/SP), L’oeil Écoute, Paulo Bruscky (Galeria Nara Roesler/SP), Lembrei que Esqueci, Amelia Toledo (CCBB/SP), Linhas de Força, Marcone Moreira (Palácio das Artes/MG), Matéria Escura , Manoel Veiga (Museu Oscar Niemeyer/PR), Memórias do Futuro em Ruínas, Mariana Smith (Centro Dragão do Mar/CE), Mergulhe em Mim, para Poder Surgir de Mim, Marcia Xavier (MAM/SP), Mestre dos Sonhos, Francisco Brennand, (Caixa Cultural/BA), Missão Francesa, André Penteado (MNBA/RJ), Monotipias, Luiz Zerbini (Galeria Fortes D’Aloia & Gabriel/SP), Muito Romântico Tour, Alvaro Seixas (Galeria Cavalo/RJ), Nada Levarei Quando Morrer, Miguel Rio Branco (MASP/SP), Não Está Claro Até que a Noite Caia, Juliana Stein (Museu Oscar Niemeyer/PR), Nem Eu, Nem Tu: Nós, Karin Lambrecht (Santander Cultural/RS), No Lugar Mesmo, Ana Maria Tavares (Pinacoteca/SP), Nomos, Laura Miranda (MON/PR), Nuptias, Rosângela Rennó (Galeria Vermelho/SP), O Lírico e o Onírico (Estação Cultural Meme Santo de Casa/RS), O Nome do Medo, Rivane Neuenschwander (MAR/RJ), O Reino do Céu | The Fool’s Year, Matheus Rocha Pitta (Galpão na Glória/RJ), Onde Estão Minhas Obras?, Bruno Faria (MAMAM/PE), Os Desastres da Guerra, Dora Longo Bahia (Pinacoteca/SP), Ouro Branco, Simone Barreto (Galeria Sem Título/CE), Oxalá que Dê Bom Tempo, Regina Vater (MAC Niterói/RJ), Pacotão, Mayana Redin (Galeria Pivô/SP), Paisagem entre Aspas, Sandra Gamarra (Galeria Leme/SP), Panorama da Pintura, Siron Franco (Biblioteca Mário de Andrade/SP), Paraíso Artificial, Rosana Paulino (CCSP/SP), Pra Aquietar, Débora Bolsoni (Athena Contemporânea/RJ), Pisa na Paúra, Lenora de Barros (Anexo Millan/SP), Quem Tem Medo de Teresinha Soares?, Teresinha Soares (MASP/SP), Recortar Copiar Colar, Elida Tessler (Bolsa de Arte/SP), Reflexões Plásticas, Valdir Rocha (Centro Cultural Correios/SP), Rotorama, Daniel Acosta (Pinacoteca/SP), Sem Berço, Evandro Prado (Galeria JB Goldenberg/SP), Silente, Sergio Lucena (Galeria Eduardo Fernandes/SP), Situ #7, Ana Dias Batista (Galeria Leme/SP), Solo, Thiago Honório (Galeria Luisa Strina/SP), Somente o Necessário, Marcelo Zocchio (MAC USP/SP), Subtotal, Marcelo Cidade (MuBe/SP), Tanto Barulho por Nada, Sandro Ka (MARGS/RS), TemporalizAções, Paulo Bruscky (Usina de Arte/PE), Trilha para 2 lugares e Trilha para 2 Lugares, Nelson Felix (MAM/RJ), Um Tronco para Exu, Hugo França (MAC USP/SP), Vão, Berna Reale, (CCBB/SP), Variações para Cítera e Santa Rosa, Nelson Felix (Galeria Millan/SP).