Conheça os finalistas ao Prêmio Bravo! de Cultura de Melhor Livro

Lucrecia Zappi, Ana Martins Marques com Eduardo Jorge e Milton Hatoum disputam o prêmio; veja quem votou

São Paulo, Belo Horizonte, Brasília: cada um a seu modo, os três finalistas ao Prêmio Bravo! de Cultura na categoria de Melhor Livro tiram consequência da relação de seus personagens com a cidade em que vivem — seja no faroeste paulistano de Lucrecia Zappi, na correspondência em versos belo-horizontinos entre Ana Martins Marques e Eduardo Jorge ou no romance de formação em meio ao chumbo grosso de Milton Hatoum, cuja voz narrativa transita do Distrito Federal a Paris.

Os finalistas foram definidos a partir dos votos dos membros da Academia Bravo!, formado por escritores, jornalistas e editores. Votaram na categoria de Melhor Livro os autores Cíntia Moscovich, Cristiane Costa, Cristóvão Tezza, Daniel Galera, Giovana Madalosso, Julián Fuks, Luis Henrique Pellanda, Manoela Sawitzki e Michel Laub; os jornalistas Daniel Benevides, Joselia Aguiar, Juliana Cunha, Manuel da Costa Pinto e Maurício Meireles; os poetas Elizandra Souza e Fabrício Carpinejar; o crítico Igor Zahir e os editores Maria Emilia Bender, Rogério Pereira e Schneider Carpeggiani.

No ano passado, Evandro Affonso Ferreira levou o prêmio da categoria com o romance Não Tive Nenhum Prazer em Conhecê-los. O vencedor deste ano será anunciado no dia 27 de março em cerimônia na Casa de Francisca, em São Paulo.

Conheça os finalistas.

Acre, Lucrecia Zappi

Usando elementos narrativos de filmes de faroeste e de lugares onde cresceu no centro de São Paulo, onde chegou aos quatro anos de idade vinda da Argentina, Lucrecia Zappi constrói, em seu segundo romance, um retrato duro da classe média paulistana e sua relação com a cidade a partir da história de Oscar, um homem atormentado pelo retorno de um ex-namorado de sua esposa.

Como se Fosse a Casa, Ana Martins Marques e Eduardo Jorge

Como sugere o subtítulo do livro, Como se Fosse a Casa é uma correspondência poética entre Ana Martins Marques e Eduardo Jorge. Tudo começou quando Eduardo viajou para a França e Ana alugou seu apartamento na região central de Belo Horizonte por um mês. Ambos iniciaram uma troca de e-mails que a princípio versavam sobre assuntos práticos da nova casa mas que, em seguida, alçaram voos líricos próprios.

Mais: leia dois poemas do livro Como se Fosse a Casa.

A Noite da Espera, Milton Hatoum

Narrado em dois tempos — nos finais das décadas de 60 e 70 — a primeira parte da trilogia O Lugar mais Sombrio acompanha as descobertas políticas, familiares e sexuais de Martim quando moço, em Brasília, e o retorno dessas lembranças em sua experiência do exílio em Paris, dez anos depois. Ao mesmo tempo, A Noite da Espera não deixa de ser o retrato de uma geração, representada nos amigos de escola e faculdade de Martim reunidos em um grupo de teatro e na revista Tribo.

Mais: leia a crítica de Almir de Freitas para A Noite da Espera.

Cada jurado da Academia Bravo! elegeu até 10 livros que julgou serem os mais importantes do ano. Reunimos aqui todos os indicados mencionados:

A Cena Interior, Marcel Cohen (34); A Feira, Adriana Armony (7Letras); A Glória e seu Cortejo de Horrores, Fernanda Torres (Cia das Letras); A Hipótese Humana, Alberto Mussa (Record); A Ilumiara — Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores, Ariano Suassuna (Nova Fronteira); A Instrução da Noite, Maurício de Almeida (Rocco); A Marca do Z, Paulo Roberto Pires (Zahar); A Noite da Espera, Milton Hatoum (Companhia das Letras); A Órbita de King Kong, José Luiz Passos (Quelônio); A Orca no Avião, Sofia Mariutti (Patuá); A Peça Intocada, Luci Collin (Arte & Letra); A Retornada, Laura Erber (Relicário); Acre, Lucrecia Zappi (Todavia); Adeus, Cavalo, Nuno Ramos (Iluminuras); Algoritmo, Tiago Novaes (Quelônio); Alquimista na Chuva, Assionara Souza (Kotter Editorial); Anjo Noturno, Sérgio Sant’Anna (Cia das Letras); Antiboi, Ricardo Aleixo (Crisálida); Antologia Cadernos Negros, Vol 40 — Contos Afro-brasileiros (Quilombhoje); Antologia Fantástica da República Brasileira, José Luiz Passos (Cepe); Antologia Poética, Marcelo Sandmann (Kotter Editorial); As Perguntas, Antonio Xerxenesky (Cia das Letras); Assim na Terra como Embaixo da Terra, Ana Paula Maia (Record); Breve Passeio pela História do Homem, Ivana de Arruda Leite (Reformatório); Câmera Lenta, Marília Garcia (Cia das Letras); O Clube dos Jardineiros de Fumaça, Carol Bensimon (Cia das Letras); Como se Fosse a Casa — Uma Correspondência, Ana Martins Marques e Eduardo Jorge (Relicário); Contos Estrangeiros, Fernando Monteiro (Confraria do Vento); Correr com Rinocerontes, Cristiano Baldi (Não Editora); Descalço nos trópicos Sobre Pedras Portuguesas, Thiago Camelo (Nós); Dia Bonito de Chover, Lívia Natália, (Malê); Em Outros Tantos Quartos da Terra, Pedro Gonzaga (Ardotempo); Enquanto os Dentes, Carlos Eduardo Pereira (Todavia); Ensaio de Voo, Paloma Vidal (Quelônio); Entre Facas, Algodão, João Almino (Record); Entre Orfe(x)u e Exunouveau, Edimilson de Almeida Pereira (Azougue); Escalpo, Ronaldo Bressane (Reformatório); Espanca-Estanca, Luz Ribeiro (Quirino); Etiópia, Francesca Angiolillo (7Letras); Ferrugem, Marcelo Moutinho (Record); Gostar de Ostras, Bernardo Ajzenberg (Rocco); Heroínas Negras Brasileiras em 15 Cordéis, Jarid Arraes (Pólen); Íntimo Desabrigo, Tarso de Melo (Alpharrabio/Dobradura); Jacarepaguá, Daniel Castanheira (Dantes); Ladainha, Bruna Beber (Record); Laminário, Margarida Patriota (7Letras); Na Pureza do Sacrilégio, Carlos Cardoso (Ateliê); Nada está Fora do Lugar, Josely Vianna Baptista, Não Adianta Morrer, Francisco Maciel (Estação Liberdade); Não está Mais Aqui Quem Falou, Noemi Jaffe (Cia das Letras); Negrhúmus Líricos, Cuti Silva (Ciclo Contínuo); Neve Negra, Santiago Nazarian (Cia das Letras); Noite Adentro, Tailor Diniz (Grua); Noite Dentro da Noite, Joca Reiners Terron (Cia das Letras); Nunca Houve Tanto Fim como Agora, Evandro Affonso Ferreira (Record); Nunca Vi as Margens do Rio Ybbs, Bernardo Brayner (Zazie); O Caçador Cibernético da Rua Treze, Fabio Kabral (Malê); O Livro da Imitação e do Esquecimento, Luis Krausz (Benvirá); O Peso do Pássaro Morto, Aline Bei (Nós); Ode a Mauro Shampoo e Outras Histórias da Várzea, Luiz Antonio Simas (Mórula); Pequenos Reparos, Omar Salomão (José Olympio); Petrolina, Carlos Eduardo de Magalhães (Grua); Pretérito Imperfeito, Bernardo Kucinski (Cia das Letras); Qvasi, Edimilson de Almeida Pereira (34); Roupas Sujas, Leonardo Brasiliense (Cia das Letras); Sem Dó, Luli Penna (Todavia); Sessão, Roy David Frankel (Luna Parque); Terra Negra, Cristiane Sobral (Malê); Tiráspola, Ana Kiffer (Garupa); Tudo Nela Brilha e Queima — Poemas de Luta e Amor, Ryane Leão (Planeta do Brasil); Úrsula, Maria Firmina dos Reis (PUC Minas); Zumbi Assombra Quem?, Allan da Rosa (Nós).