Contagem regressiva para “GIL”

Grupo Corpo prepara nova coreografia com trilha sonora inédita de Gilberto Gil

Gilberto Gil no estúdio durante criação da trilha sonora de GIL © Michelle Deslandes

Faltam três meses. Doze semanas! Ou, mais precisamente, 87 dias para a première de GIL, nova coreografia do Grupo Corpo com trilha sonora assinada pelo ícone da música brasileira Gilberto Gil.

Seguindo a tradição, a companhia mineira é quem faz a abertura da Temporada de Dança do Teatro Alfa. Sua estreia anterior, Gira, teve uma procura tão grande por ingressos que datas extras foram adicionadas à programação. Tudo indica que a concorrência desta vez também será enorme.

A coreografia Gira (2017), inspirada em Exu e com trilha sonora do Metá Metá, recebeu o Prêmio Bravo! 2018 de Melhor Espetáculo de Dança.

Desejo antigo, a parceria com o baianíssimo Gil dá continuidade ao “jeitim” criativo do Corpo, que propõe a artistas consagrados o desafio de compor música para dança. Caetano Veloso, Tom Zé, Lenine e Arnaldo Antunes são alguns nomes que assinaram suas trilhas sonoras.

A assessoria do Corpo informou que o trabalho ainda está em fase inicial. O que já se sabe é que o programa duplo vai trazer, além de GIL, a remontagem de Sete ou Oito Peças para um Ballet, de 1994, que reúne oito músicas originadas do encontro entre o compositor estadunidense Philip Glass e o grupo mineiro UAKTI.

Nas redes sociais, o Grupo Corpo faz um “esquenta” até a estreia

Após São Paulo, o Grupo Corpo se apresentará em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Assim na música como na dança
A Temporada de Dança evidencia outros trabalhos que têm uma relação fundamental com partituras. É o caso de Dance Me (2017), da canadense Les Ballets Jazz de Montréal, que exalta a musicalidade de seu conterrâneo Leonard Cohen (1934–2016) em coreografias de Andonis Foniadakis, Annabelle Lopez Ochoa e Ihsan Rustem.

Já a goiana Quasar Cia. de Dança reapresenta O Que Ainda Guardo (2018) que homenageia os 60 anos da bossa nova.

Ainda tem a vinda do mais recente trabalho da japonesa Sankai Juku, Arc — Chemin du Jour, que estreou no mês passado em Paris. Nela, o coreógrafo Ushio Amagatsu propõe coreograficamente um caminho entre a aurora e o crepúsculo em imagens quase surreais.

Pra finalizar a programação, a carioca Cia. de Dança Deborah Colker coloca sua roda gigante em rotação novamente. A remontagem de Rota (1997) é parte das celebrações dos 25 anos da companhia.


Temporada de Dança do Teatro Alfa 2019

Sete ou Oito Peças para um Ballet e GIL
Grupo Corpo
8 a 18 de agosto

Dance Me
Les Ballets Jazz de Montréal
30 de agosto a 1º de setembro

O que Ainda Guardo
Quasar Cia. de Dança
14 e 15 de setembro

Arc — Chemin du Jour
Sankai Juku
28 e 29 de setembro

Rota
Cia. de Dança Deborah Colker
23 a 29 de outubro

O Teatro Alfa informa que foi iniciada apenas a venda das assinaturas da Temporada de Dança, que custam entre R$ 262,50 e R$ 756,50. Os ingressos serão vendidos somente a partir de julho.