Felipe Antunes lança clipe de “Epidemia”

Música inédita, composta para uma peça de teatro, teve vídeo gravado no Sesc Pompeia com participação de Ná Ozzetti

Composta em 2015 para a peça Cabaré Garcia (dirigida por Renan Tenca Trindade), a música Epidemia não poderia ser mais atual. Num surto à la Alienista (conto clássico de Machado de Assis), canta-se uma cidade que vai “ficando limpa” de putas, pobres pretos, feministas, padres tolerantes, bichas e drogados. Felipe Antunes diz que apesar de ter sido escrita antes das eleições de Donald Trump ou de João Doria, fez “apenas um balanço do tempo”. “Até porque Machado já brincava com a ideia de ‘higienização’ — que aqui, em Epidemia, foi radicalizada, e, pela atual gestão da prefeitura de São Paulo, naturalizada. E é esse ‘naturalizada’ que preocupa; o termo ‘pós-verdade’ parece explicar bem a tal permissividade/endossamento por parte da população a essas ações.”

Felipe Antunes é o vocalista e compositor do grupo Vitrola Sintética (que já está no terceiro disco, Sintético, lançado em 2015). Neste projeto solo, diz que tenta procurar “linhas tênues da linguagem”: “o grande desafio é encontrar, no show, uma dramaturgia possível diante das canções existentes”. O clipe foi gravado durante seu show no Sesc Pompeia em setembro do ano passado, com participações de Ná Ozzetti, Marcelo Castilha (piano), Thomas Rohrer (rabeca) e Juliana Perdigão (clarinete). Assista abaixo: