Seminário discute os desafios da circulação de peças teatrais

Evento em São Paulo também terá anúncio de selecionados no Programa Petrobras Distribuidora de Cultura para 2017-2018

“O Homem do Banco Branco e a Amoreira”, da Minha Nossa Cia. de Teatro. A peça foi contemplada na edição 2015–16 do PPDC (Foto: Lauro Borges)

A Petrobras, por meio de seu braço de distribuição cultural, realiza amanhã (29) em São Paulo o seminário Conversas —Teatro em Movimento, que ocupa o Cinearte, no Conjunto Nacional, com discussões sobre a circulação de espetáculos teatrais. Na ocasião também serão anunciados os projetos selecionados no Programa Petrobras Distribuidora de Cultura para o biênio 2017/2018.

O seminário — dividido em conversas, palestras, mesas de debate e apresentação de casos — terá a participação de artistas, gestores e pesquisadores. Entre os convidados estão Fernando Yamamoto, diretor da companhia Clowns de Shakespare; Raphael Vianna, coordenador do Palco Giratório do Sesc; a atriz e gestora baiana Maria Marighella; e Moira Albuquerque, da Minha Nossa Cia. de Teatro. A programação completa e o fomulário para inscrição, que é gratuita, estão disponíveis no site do evento.

Circulação continental

Segundo a coordenadora de patrocínio cultural da Petrobras, Alena Aló, foi da experiência dos 240 projetos contemplados nas cinco seleções passadas que surgiu a necessidade de discutir este tema. “A partir dos resultados desse trabalho, em conversas com produtores, fomos percebendo uma diversidade de desafios para a circulação de teatro num país de dimensões continentais como o Brasil”, diz Aló. “São questões que vão desde a logística da produção até a formação de plateia para teatro em localidades que, muitas vezes, não tem oferta regular de espetáculos”.

Neste sentido, prossegue Aló, o seminário busca refletir sobre diferentes aspectos da circulação teatral, “desde as dificuldades de viajar com os espetáculos, passando pela importância da realização de ações de formação de público e encontros com grupos locais, além de formas efetivas de garantir a acessibilidade, hoje uma exigência da Lei Rouanet”.

Acessibilidade cultural

A acessibilidade cultural é um desses aspectos, e será abordado no seminário por Pedro Prata, da Escola da Gente do Rio de Janeiro, e Patrícia Dorneles, coordenadora do curso de especialização em acessibilidade cultural da UFRJ, em mesa mediada pelo programador Marcelo Bones.

Em reportagem da Bravo! sobre o tema, em junho deste ano, Dorneles alertava sobre a necessidade de capacitação de equipamentos culturais e da urgência em se colocar as leis em prática. “A legislação já está posta, mas ainda falta muito conhecimento e capacitação pra que a gente possa implementar as políticas de acessibilidade nos espaços culturais”, disse então.

“Como se trata de uma exigência recente, existem muitas dúvidas sobre como cumpri-la, de como conciliar uma ferramenta de acesso com as questões estéticas de cada espetáculo e de como garantir a acessibilidade nas diversas praças por onde o espetáculo irá circular, bem como identificar e aproximar o público com deficiência em cada cidade”, avalia Alena Aló.

Investimento e seleção

Para o biênio 2017/2018, o Programa Petrobras Distribuidora de Cultura tem investimento previsto de R$ 15 milhões. O montante é destinado à circulação, em todas as regiões do país, de espetáculos teatrais adultos e infanto-juvenis que não sejam inéditos.

Em setembro deste ano, uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo informou que o Programa Petrobrás Cultural tinha alterado os conceitos que orientam o patrocínio de projetos culturais. Segundo a matéria, “a necessidade de abrangência nacional e a invisibilidade dos projetos para o mercado” deixaram de ser critérios de seleção, substituídos pelo “fortalecimento da combalida marca da empresa”.

À Bravo!, a Petrobras Distribuidora, por meio da coordenadora Alena Aló, informou que o mérito artístico e a representatividade regional seguem, ao lado da visibilidade da marca, como critérios nas seleções públicas de projetos — com júri formado também por pessoas de fora da empresa. “Por sermos uma rede de postos e serviços que está presente no país todo, e por atuarmos no segmento de circulação de espetáculos, a abrangência nacional é parte do direcionamento do nosso programa de patrocínios”, explica Aló.


Conversas — Teatro em Movimento

Das 10h às 17h. Grátis. Programação completa e inscrições no site.

Cinearte: Avenida Paulista, 2073 (Conjunto Nacional) — Consolação — São Paulo.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.