Quando o cinza precisa reinar

A dor que habita nessas terras já se apropriou de tudo que existe ao seu redor. Já invadiu casas, separou famílias, destruiu plantações. Era preciso acabar com a praga do verde. O azul foi excluído por uma multidão cinzenta batendo continência nos ares. É tudo em fila, destruição em massa. Chego com anúncio de despejo, mas a cordialidade não abre a porta. É preciso libertar a todos aqui do peso dos ideais harmônicos. A verdade mora na desilusão e a felicidade pode se libertar com o fim da paz.