Uma história por noite durante um mês

Cada uma criada no decorrer do mesmo dia.


Projeto pessoal é uma coisa meio louca. Perdi a conta de quantos planejei, quantos comecei e de todos que nunca chegaram ao fim. Alguns nem à metade. É que esse tipo de empreitada depende só da gente. Não tem chefe, normalmente não tem grana e muito frequentemente não sobra tempo.

E se existe alguém que cai sempre nas desculpas, nas mentiras, nos ardis… Somos nós mesmos.

Um belo dia de maio ou junho eu pensei na ideia 30 noites de ficção. Seriam 30 dias em que eu deveria escrever um conto ou história curta por dia. Eu já vinha dessa meta diária de escrever dois mil caracteres, mas daí a criar algo finalizado e publicável era um grande salto. Rabisquei, estruturei, até um logotipo eu criei. Só faltava esperar o mês ideal para começar.

Só que esse mês não vinha. Primeiro estava corrido no trabalho, depois tinha o início da minha filha na escola, depois eu tirei férias. Percebi que jamais completaria.

Assim, no fim de agosto, botei na cabeça: vou fazer esse troço acontecer, custe o que custar.

E eu consegui. Foi tudo muito maluco. Alguns textos foram um parto para nascer, outros já estavam praticamente escritos em minha cabeça. E tornar público foi o melhor incentivo. Se fosse para eu escrever e guardar, provavelmente jamais finalizaria.

Mas a cada texto, a cada elogio, a cada incentivo, eu fiquei com mais vontade de seguir em frente. Teve texto legal, teve texto ruim, teve texto que eu achei que bombaria, mas teve pouquíssimos acessos, teve texto que eu achei que era bem tosco e bombou.

Enfim, em breve vou falar mais sobre todo o processo. Por enquanto, fique com o link para cada um dos textos nas 30 noites de setembro em que quase morri para escrever :)

1. Melhor não falar sobre mamãe
2. Hoje não te encontrei em casa
3. Monstro Monstrinho
4. Cinco portas para o inferno
5. Notas sobre um desastre urbano
6. O amor da sua vida pode passar por você nesta tarde
7. P de Pederasta
8. Bunda Kid
9. Você não é mulher pro Laion
10. O insólito encontro de Ênio com a Cigarra Farfalhante
11. Amado não quis abraçar
12. Menina de Barro
13. Final feliz a beira-vômito
14. O pé
15. Peixeira no bucho de Belzebu
16. Amputem meu coração também
17. Amâncio comeu os lábios
18. O jornalista incompetente
19. Raiz de Cabreúva
20. Nunca encare seu reflexo
21. O último suspiro da dragoa-mãe
22. Todos os cadáveres da minha vida
23. Narinas Sensíveis
24. Horizonte Profanado
25. Como nascem as grandes ideias
26. A mesma roupa de Gerson
27. Existe vida social depois da paternidade
28. Sociedade Secreta dos Homens Brancos
29. Amaranta contra o gigante Alberto
30. Fim de mundo para Felícia


Gostou do texto? Então clique no botão Recommend, logo abaixo.
Fazendo isso, você ajuda esta história a ser encontrada por mais pessoas.

Você pode acompanhar o Farfalhódromo e receber as atualizações.
Clique aqui para seguir.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.