RENDA-SE

Projeto de estampa vira tipografia em renda bilro.

Criação da Capital do estado ganhou destaque e fez parte da Bienal Brasileira de Design 2015.

Tipografia Renda-se

O trabalho artesanal unido a criatividade e inspiração do designer Renato Cardoso originou a fonte Rende-se. A tipografia originada em Florianópolis, inicialmente derivou-se de um projeto estampas de camisetas femininas, temáticas da ilha catarinense. De acordo com o criador, em um dos modelos ele precisava escrever a palavra “amorzinho”. “Dessa palavra surgiu a ideia de formar a palavra em renda. Foi após pesquisas e estudos que cheguei nessa conclusão e decisão final”, destacou.

Durante o processo de criação, foram iniciados os primeiros contatos com as rendeiras catarinenses que colaboraram com a ideia. Para as camisetas, a fonte em renda acabou se tornando pequena, mas foi então, que Cardoso seguiu com projeto. Após isto, foram em média três anos para que a Renda-se saísse do papel e formasse.

Ao todo, foram cerca de seis meses desde os desenhos das fontes até a produção. “O que me incentivou trazer novamente a criação da Renda-se foi a Bienal Brasileira de Design, realizada em Santa Catarina. Eu observei que dos materiais que eu possuía este seria a ideal para estar inscrevendo no evento”.

Para a Bienal, foram dois processos no qual o designer passou: parte de inscrição/aprovação e aperfeiçoamento até o resultado final. “Logo em seguida que fui aprovado precisei fazer algumas adaptações como inserir pontuação e numeração, que não haviam sido feitos antes”, completou o profissional.

“Foi muito legal, eu nunca imaginei poder participar de uma Bienal. A sensação de ver o trabalho em meio a tantos outros é ótima e à medida que a exposição foi acontecendo tive oportunidade de conhecer pessoas”

Após a Bienal Brasileira de Design 2015, Cardoso também foi selecionado para participar da Bienal de Design Gráfico, no Rio de Janeiro. Além disto, já participou com a fonte tipográfica das revistas ArcDesign e Design Magazine (Portugal).

Tipografia Renda-se

Renda de Bilro e a tradição da Ilha

O trabalho de rendas bilro iniciou em Florianópolis por influência dos açorianos, no século 18. No projeto, Cardoso contou com a ajuda das mulheres do Casarão de Rendeiras, da Lagoa da Conceição, para o sucesso da Renda-se.

O processo, em tramas de renda, passou por pesquisas para aperfeiçoamento de suas caracterizas. Do trabalho ainda está sendo produzida uma mesa em formato bilro, com tampo de vidro

Outra iniciativa que dá sequência a fonte é a sua aplicação. Para isso, o designer desenvolve o projeto “Vestido de Poesia”, onde com a ajuda de uma designer de moda e de um poeta será criado um vestido com as poesias escritas com a tipografia. “Quero após o desenvolvimento tirar umas fotos e fazer instalação, onde esteja numa sala que toque a música Ratoeira, esta que as rendeiras cantam quando estão realizando o trabalho em bilro”, finalizou.