5 dicas para escrever mais

Inspirações para voltar (ou começar) a produzir mais conteúdo

Li não sei onde, escrever é bom porque une as duas maiores alegrias: falar sozinho e falar para uma multidão. Como uma pessoa que tem a escrita como profissão e como principal lazer, é com certo espanto que reajo a declarações de amigos do tipo “queria tanto escrever, não sei como você consegue”. Oras, não sei como você não consegue. É só colocar as palavras no papel, assim uma a uma, e ver o que vai dar lá na frente. Não?

Ok, concordo que não é assim tão simples, mas é tão bom! E fica mais fácil com a prática. Recentemente ministrei um workshop sobre processo criativo em escrita e vi que uma das maiores questões para as pessoas que querem produzir mais é esse medo de não estar no caminho certo. Bom, é difícil saber se o seu caminho está certo se você não começa caminho nenhum. É preciso tentar, experimentar! Por isso, resolvi trazer para cá algumas das dicas sobre as quais conversamos por lá. Não que eu possa ser uma grande professora para alguém ou esteja contando algum segredo dourado que só eu saiba sobre a arte de escrever. Pelo contrário, acho que esses conselhos são bons justamente porque são coisas que você já sabe. E, como a maioria das coisas que já sabemos, precisamos que outra pessoa nos diga para que a gente acredite.

  • Escreva tudo primeiro, sem critério

Se a inspiração veio, escreva de uma vez só. Não se preocupe em lapidar seu texto em um primeiro momento, não se preocupe sequer em fazer sentido. Apenas escreva e deixe que o bruto do que você quer dizer seja dito. Esse é o ponto inicial e o mais importante. Pode ser que sua ideia inicial tenha cinco linhas. Escreva-a e depois se preocupe em transformá-la em cinco parágrafos, cinco páginas ou capítulos — ou cinco livros, se você for a J.K. Rowling. Comece pelo fim e termine pelo começo, se assim desejar. Não importa a ordem, dando o pontapé inicial você já abriu o caminho e isso é o que vale.

  • Não se force, mas se force um pouco

Se está difícil demais, dê um tempo. Tome um café, assista a um seriado. E volte. Lembre-se que um texto que foi chato de escrever, provavelmente será chato de ler. Se não está rolando, dê um tempo até voltar a rolar. Certo? Certo. Mas aí… Você deixou aquele texto de lado para pensar um pouco e já faz seis dias. E a vontade de escrevê-lo já é uma lembrança distante. Procure não deixar isso acontecer, porque quanto mais você demora, mais a sua ideia inicial perde a força. Tente mais um pouco, não desperdice o que já começou. Tente lembrar das emoções que te motivaram a escrever aquele texto. E continue.

  • Escreva o texto que você gostaria de ler

Com as redes sociais e o vício de aprovação que se criou, é comum a gente sempre se perguntar se vale o esforço fazer algo. No caso de escrever, sempre rola um “ah, mas ninguém vai ler”. Nisso as pessoas caem em dois erros: ou simplesmente deixam de escrever porque acham que ninguém vai se interessar, ou passam a escrever coisas que não as interessa, mas que podem despertar a atenção dos outros. Bom, se a ideia é ser verdadeiro com você mesmo, acredito que o ideal seja escrever mesmo sem saber se vai render likes, dizendo o que você quer dizer e não o que acha que os outros querem ler. É claro, não existe certo ou errado e seu conteúdo pode ser bom mesmo não sendo exatamente o que você queria falar. Mas ele te deixará feliz? Fará você se sentir realizado como se sentiria ao escrever o que realmente queria passar? Eu acredito firmemente que quando você é sincero de coração no que produz, as pessoas chegam até você. Honestidade cativa, entusiasmo cativa. E isso só é possivel quando você escreve sem pensar nos outros, mas sim em você, por mais egoísta que isso possa parecer.

  • Lembre-se que seu conhecimento pode não ser único, mas a sua experiência é

Mais do que aprender 25 dicas sobre como passar 18 dias na Disney gastando pouco, as pessoas querem saber como você se sentiu lá. Como foi conhecer? Você se cansou? Esse tipo de coisa. Detalhes técnicos podem ser adquiridos em sites de viagem, a sua experiência é única. Uma resenha sobre Trainspotting 2, que você viu no cinema, pode ser legal, mas o que as pessoas querem saber é: você gostou do filme? Te fez chorar, te emocionou? Escreva sobre coisas que não se acham no Google. Isso importa.

  • Não tenha medo de parecer um pouco bobo

Por fim, acredite que a coragem para falar te dá a autoridade para falar. Eu levei cinco anos para criar coragem de escrever ficção porque, embora fosse meu sonho, morria de vergonha de escrever diálogos. Até que me dei conta: “Oras, e quem é que sabe que eu não sei o que estou fazendo?”. Quando você dá a cara a tapa, você conquista o direito de tentar. E só de estar tentando você já está muito, muito à frente de qualquer pessoa que, sem ter a coragem para nada parecido, ouse te criticar.

Acho que é isso! Se escrever é a sua paixão ou simplesmente a sua vontade, não desista disso. Encontre meios, descubra seu jeito de escrever e faça disso parte de você. Nunca desista de algo que te faz feliz, minimamente que seja.


Clique no ❤ e ajude esse texto chegar a outras pessoas!

Deixe o seu comentário ou nos mande um e-mail para rsubjetiva@gmail.com

Também estamos no Facebook, Twitter e Instagram. Segue a gente!

Quer ter seu texto publicado? Clique aqui.