A Essência da Vida

O bem mais precioso do universo

(Fonte de imagem: ABC Open)

Num final de uma tarde de sábado, estava eu como de costume, observando o movimento de quem passava na rua (geralmente, eu encontro inspiração nesses momentos de contemplação). O que eu mais via era a desesperança nos olhares frisados, secos e vazios de quem ia e vinha. Tudo bem, crise é o que não falta, e o mundo realmente não está na sua melhor fase. Mas ainda assim, eu queria entender o real motivo daquela ausência de vida. “Seus corpos estão aqui, mas não há nada dentro deles”, pensei comigo mesmo.

Vida, vie, life, Leben. Uma palavra tão curta mas que carrega um significado tão intenso…

Onde está a essência do bem mais precioso do universo? Estamos mesmo nos deixando levar pela eterna música da modernidade, “acorrentados ao ritmo”? Acredito que boa parte das pessoas sim, infelizmente, isso é evidente. “E como fica a nossa espécie então? Quem vai sobrar pra contar história? Alguém?”, me pergunto. Teorias e mais teorias da conspiração se espalham por aí o tempo todo, e muitos se apoiam num futuro incerto, talvez até assustador. Mas a verdade é que o futuro acontece aqui e agora. Não há solução mágica para uma mudança repentina. Tudo começa com um simples despertar. Acordemos, e acordemos também aqueles que ainda estão à procura de likes, comentários, reações, respostas para as mensagens que os outros visualizam e não respondem, se aventuram em crushes ou choram por amores não correspondidos, ciúmes, e tantas coisas mais, o tempo está passando… Problemas reais acontecem embaixo do nosso nariz e tudo o que precisamos fazer é abrir os olhos para enxergá-los, e disponibilizar os nossos ouvidos para ouvir o que o outro tem a dizer.

Já tem máquina demais no mundo pra satisfazer as nossas necessidades, não vamos nos tornar meros objetos de validação para depois sermos descartados também. Somos muito mais que isso. A crise é generalizada, mas quem cura os efeitos dela somos nós, através de gestos de humanidade. Sim, ainda somos humanos, e dependemos de nós mesmos para continuarmos existindo. Somos capazes de sentir, perceber, fazer coisas inimagináveis com o nosso cérebro (de preferência para o bem), e o melhor de tudo é que estamos em vantagem, pois possuímos a essência da vida. Nós vivemos. Máquinas apenas existem e têm prazo de validade, enferrujam e se vão. Tudo bem que, de certa forma, nós também “enferrujamos” ao envelhecer, mas antes disso experienciamos a vida, e temos a chance de experimentar tudo o que há de bom nesse mundo. Vamos usar esse poder a nosso favor.

Enquanto houver uma juventude disposta a quebrar paradigmas, dissolver estigmas, e com coragem suficiente para abraçar o novo, haverá jeito sim. Sufocar o sonho de ver um mundo mais igual, digno e renovado é dizer adeus à nossa espécie. Vamos abraçar a vida e manter acesa a chama da esperança em nossos corações. Todo dia é uma nova oportunidade para acordar e fazer a diferença, por menor que ela seja.


Gostou do texto? Clique no ❤ para ajudar na divulgação

Deixe seu comentário, ele é importante para nós. Caso deseje algo mais privado, nos mande um e-mail para rsubjetiva@gmail.com

Não deixe de nos seguir e curtir nas redes sociais: Twitter. Facebook. Instagram.

Quer escrever conosco? Siga o passo-a-passo de nosso Edital abaixo: