A INFLUÊNCIA (MALIGNA) DOS SIGNOS NO COTIDIANO

Há uma necessidade intrínseca no ser humano de se identificar, de se sentir pertencido, de se auto explicar quando não se tem explicação. E então acharam a solução para todos os problemas: os signos. “Me passa a data, a hora e a cidade em que você nasceu. Vou fazer seu mapa astral”, quem nunca ouviu essa frase que roube uma estrela do céu.

Houve relatos de amigos, e não foi só de um, mas de vários, que antes mesmo de marcar um encontro com o crush, já perguntaram o signo do outro. Eles também me contaram que desistiram de sair com alguém cujo o papo estava dando certo, porque fulano ou beltrano era de um signo que é muito instável apesar de muito interessante. Fora aqueles que começam a justificar alguns comportamentos por causa de um signo. Pronto, problema resolvido.

“Sou amoroso demais, porque sou de peixes. Por isso estou te sufocando”.

“Sou confuso, não sei o que quero, só porque sou libriano”.

Não vou ser hipócrita, pois já li sobre meu signo, e até já fiz meu mapa astral para dar umas risadas e para tentar entender o que estava acontecendo na minha vida. Também não sou expert sobre isso, apenas relato o que sinto. O que eu sinto é um pouco de raiva quando me definem por inteiro, baseado em meu signo.

Nasci em 4 de junho, sou de gêmeos e recentemente no meu estágio uma colega hetero, só faltou avançar em cima de mim (drama) quando eu falei meu signo. Segundo ela os geminianos não prestam, porque em inícios de relacionamentos se jogam de cabeça e depois tiram o corpo fora, ainda afirmou que se decepcionou muito com este signo. E ela estava puta comigo na mesa, como se eu tivesse encorpado todos os homens geminianos dos quais ela se envolveu. Ela se pautou nos homens e me julgou por inteiro, sobre as minhas vivências, desejos, ações, enfim, quem eu sou.

Então eu só consigo dizer: PAREM! Conheçam as pessoas sem se pautarem em seus signos, tentem entender os seus comportamentos, suas visões, seus anseios pautados no diálogo, não na posição dos astros. Tentem pelo menos, vamos nadar contra essa maré que a lua influencia. E outra, não se contente com seu gênio “dificinho” porque seu signo diz que você é assim e pronto acabou. Evolua sempre, independente se Marte ou Júpiter atua em seu signo.

Au revoir, motherfuckers.