Choro Preto

Cumade
Cumade
Oct 25 · 2 min read
Praia de Maragogi — AL

A cor da minha dor
Escorre do meu sangue
Numa lágrima sem sabor
Agora preta sua cor

Choro lá de além mar
Atraca já na costa
E pra cessar só resta
Estas mãos cá, já postas

Escorre entre os meus dedos
Pois eu sou todo este mar
Sou o pixe desta praia
Luto e não paro de lutar

Sou o mesmo relegado
Reduzido a alegoria
Eles odeiam minha presença
Porém amam minha poesia

E nas preocupações do seu bolso
Eu não sou nem a lembrança
Pois vale mais uma piada de mau gosto
Do que a morte de uma baía

Cá estou de peito inchado
Por bravar esta peleja
E do pouco ainda resta
Este grito relampeja

De chorar já não caleja
Sofrer é parte do meu dia
Matam aos poucos o meu povo
E agora até a natureza

Quando machucam estas praias
Minha carne também sangra
Da minha pele cai o óleo
Da mácula goteja

Mas não morro, dou certeza
Vencerei mais uma guerra
Serei outro bem mais forte
Brotarei desta tapera

Lá do norte ele virá
O rugir deste meu grito
Toda noite escutarão
A forte voz dos esquecidos

Guardem fundo sua vergonha
Já não vale a desculpa
Poderiam ter agido
Mas viraram as cabeças

Só nos deram de resposta
A pior das apatias
Não soou uma palavra
Só o silêncio desta covardia


Gostou? Clique nos aplausos — eles vão até 50 — e deixe seu comentário

Segue a gente no Twitter e no Instagram

Veja a última edição da nossa revista digital

Participe do nosso grupo oficial no Facebook

Revista Subjetiva

Tudo aquilo que você não encontra na grande mídia.

Cumade

Written by

Cumade

Escrevendo, vez em quando

Revista Subjetiva

Tudo aquilo que você não encontra na grande mídia.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade