Menos uma

Artista desconhecido (a)

Era 3:15 da madrugada, ela estava dormindo, de porta aberta, pois tinha medo do escuro e a luz da sala pouco iluminava seu quarto, mas já bastava.

Vestida apenas com uma calcinha, afinal, com apenas 11 anos não havia muito o que esconder em seu corpo. Ou melhor, o que guardar em seu corpo.

Mas para o monstro que a espreitara, tratava-se de um convite para adentrar em seu quarto e em sua alma.

Com susto, quase que um espasmo, ela se acordou. O monstro havia fechado a porta e sentado em sua cama.

Não havia lhe tocado, com ela, não fazia nada além de olha-lá.

Inofensivo?

Um pai admirando sua cria?

Pouco provável, já que o mesmo si acariciava e entre carícias a assustava.

Seu corpo mal tomava-lhe a pele, mas seu olhar, esse tocou-lhe a alma.

Na hora do desespero, ela pensou em gritar, por um segundo, achou que era um pesadelo. Mas ele disse bem de leve:

– Não grite, não vão te ouvir!

Ela, assustada, mal vestida e atordoada, não sabia se corria ou se ficava.

Até que ele acabou, soltou-lhe um suspiro e sujou o lençol da menina. Tornou a dizer:

– Venho aqui toda noite, não é nada demais, não conte a ninguém e não virei mais.

Ela calada estava e calada permaneceu, não aceitou e nem questionou, mas como dizem por aí, quem cala consente e ele se confiou.

O monstro se levantou, levou consigo o lençol, não queria deixar rastros e nem a prova de seu feito.

Com enorme dor no peito, uma angústia de fazer tremer os ossos, pobre garota, havia perdido a pureza tão cedo.

A menina, não sabia o que acabara de presenciar, não sabia e não tinha como provar.

Estupro não foi. Assédio? Será? Ele não a tocou! Como irá provar?

Sem marcas ou vestígios, eis mais uma vítima, mais um número para estatística, na verdade, foi silenciada.

Então, é menos um(a).


O abuso começa dentro de casa e a culpa nunca é da vítima.


Gostou desse texto? Clique em quantos aplausos — eles vão de 1 à 50 — você acha que ele merece e deixe seu comentário!❤

Redes sociais: Facebook|Twitter|Instagram|YouTube

Leia textos exclusivos e antecipados assinando a nossa newsletter.

Já conferiu a nossa revista em versão digital? Está linda! Vem ver!❤

Entre no nosso grupo fechado para autores e leitores.