[+18] MERGULHE-SE EM PRAZER

Era uma tarde de muito sol e calor.

Fora do quarto, a vida corria insensata, enquanto que dentro, eu e ela, suava nossos corpos numa frenesi sexual. Quando acabamos, ela que ficou um tempo deitada ao meu lado, sentindo a brisa do ventilador e fumando, se levantou.

Fiquei observando-a atentamente e, em minha mente, até pensava no que o mestre velho safado Bukowski sentia nessas ocasiões. Ela fitou-me e, ao notar que eu a observava, deu um leve sorriso.

Uma tarde destemida, sexual, quente e bem acompanhado. Sem frescuras e sem promessas e, mesmo assim intensa e profunda.

Um cigarro, um whisky e uma boa transa, é o que todos precisam. Claro, você pode trocar o cigarro por chocolate, o whisky por café, se assim preferir. Mas jamais o sexo por outra coisa qualquer.

A vida é curta demais e a gravidade impiedosa aos nossos corpos, para deixarmo-nos de mergulharmos em alguém e este alguém mergulhar em nós, ainda que brevemente, sem compromissos.

Você não precisa beijar alguém somente com juras de amor e muitos menos transar com a promessa de casamento. Todos somos livres e podemos assim viver, totalmente destemidos e sem culpa. Lambuzarmo-nos no prazer de viver.

Nada e ninguém pode nos condenar por isto.

Ainda que eu seja um sentimentalista assumido e um romântico à moda antiga. Aprendi a tornar-me um homem livre. E na liberdade prazerosa da vida, pude descobrir a intensidade, a pureza, a poesia e sentimentalismo até mesmo em um beijo fugaz.

Em olhares, em sorrisos, em gestos, no tocar, no aperto de mãos, no abraço, no beijo e no sexo. Todas pessoas deixam transparecer, ainda que acidentalmente, tudo que estão sentindo. Tudo que almejam, sonham. Seus sofrimentos, alegrias, desesperos, euforia… Tudo podemos conhecer em alguém, se assim nos atentarmos.

Saber o que fazer com isso, cabe a cada um de nós. Existem aqueles que usam dessas informações para fazer o bem e outras já tencionam maldades para com o próximo.

No entanto, não deixe viver por causa disto. Aprenda a implantar armadilhas e senhas. Mas não deixe de mergulhar em orgasmos, em prazeres, com medo de viver e se expor.

Clichês também são bons! A rotina pode ser positiva ou entediante. Isto dependerá muito das partes envolvidas. Afinal, você pode sorrir sempre ou chorar sempre, ainda que o sempre não seja interminável. O fato é que você é responsável por sua rotina, ainda que pense que não.

A minha rotina é uma lástima e sou plenamente responsável por ela. Eis o motivo de eu aproveitar as possibilidades de mudanças proporcionadas por este prazer livre, destemido e aberto.

Sim, é uma fuga também da vida neste mundo louco. Porém uma fuga positiva, racional, carnal e inspiradora na maioria das vezes.

E o que quero dizer com tudo isso acima, de uma forma resumida é: LIBERTE-SE! VIVA! MERGULHE-SE EM PRAZER! PERTENÇA-SE!


(ARTALE Willian, in ‘Pensamentos Insaciáveis’. Multifoco Editora, 2015.)


Clique no ❤ e ajude esse texto chegar a outras pessoas!

Deixe o seu comentário ou nos mande um e-mail para rsubjetiva@gmail.com

Também estamos no Facebook, Twitter e Instagram. Segue a gente!

Quer conhecer nossos autores/as? Entre aqui.

Quer escrever conosco? Entre aqui.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.