Negligência emocional

Por que a falta de afeto nos afeta tanto

Leo Oliveira
Jan 9 · 3 min read
Source || Good Therapy

Se você cresceu em um ambiente onde a falta de carinho ou a deficiência de contato físico eram constantes, você muito provavelmente desenvolveu problemas para se relacionar com outras pessoas na transição para a vida adulta. É comum muitas famílias passarem por situações de extrema disfunção devido a problemas pessoais, ou fatores internos que distanciam seus membros com o passar do tempo.

Isso traz uma série de consequências para o desenvolvimento de crianças que presenciam certos momentos de discussão, agressão, abusos e não encontram uma forma para lidar com esses traumas. Até porque muitos pais vêm de uma cultura onde é necessário usar a violência e o castigo a todo o custo para que os filhos possam ter “disciplina”. Outros, valem-se também da religião como uma forma de impor a eles uma certa regra ou modo de vida que às vezes não é tão bem recebido e acabam gerando mais e mais conflitos.

Aos poucos, a bagagem emocional vai se acumulando, e muito do que fica guardado uma hora ou outra encontra formas não tão saudáveis de vir à tona.
Inclusive na vida adulta, a visão de mundo do indivíduo é resultado em grande parte dos valores construídos e amadurecidos durante a infância. E focando especialmente na parte afetiva, se a convivência com a criança não for bem cultivada com expressões de carinho e amor, verbais e não-verbais, o adulto que ela se tornar pode encontrar dificuldades para lidar com as suas emoções.

Da parte dos homens isso é muito mais evidente devido ao machismo e à masculinidade tóxica, que sempre pregaram que “homem não chora”, ou que expressar qualquer tipo de tristeza é sinônimo de fraqueza ou frescura.
Isso de certa forma é até compreensível devido à falta de uma educação emocional voltada para os homens, desde os primórdios da humanidade. Por ser o grupo que lidava com atividades consideradas mais pesadas ou de risco, a força e a resistência sempre foram vistas como partes fundamentais da personalidade dos homens. E assim eles foram se tornando cada vez mais negligentes com as suas próprias emoções e a situação chegou a um nível extremo e insustentável.
O número de suicídios entre pessoas do sexo masculino hoje é 5 vezes maior do que do sexo feminino — o que é alarmante, e diz muito sobre nós enquanto sociedade.

Ainda há muito a se fazer quanto à questão dos espaços onde os homens estejam confortáveis para falarem sobre o que sentem. Não só eles, mas as mulheres também. Todos nós em um momento ou outro da vida passamos por algum tipo de negligência emocional, seja de alguém em relação a nós ou vice-versa. A terapia tem sido uma ferramenta de grande ajuda nesses casos.

Demonstração de amor é tão natural e necessário para estabelecermos uma relação saudável entre nós seres humanos, mas por diversos motivos o mundo vem distorcendo e invalidando cada vez mais algo de tamanha importância (principalmente com o advento do uso de corações virtuais, seja no Facebook, Instagram ou qualquer outra rede social). E o reflexo disso é a solidão generalizada que vemos ao nosso redor.

Mas estamos tendo a chance de consertar esses erros aos poucos. Pela primeira vez, temos diversas plataformas que nos permitem nos aproximar mais e dar voz uns aos outros, e assim nos conscientizamos sobre o que e onde realmente vale a pena investir o nosso tempo: na construção de uma sociedade mais afetiva, sem medo ou vergonha de amar e demonstrar sentimentos.

Gostou do texto? Deixe os seus aplausos — eles vão de 1 a 50 — e fique de olho nas nossas redes sociais para maiores informações: Instagram e Twitter ou mande um e-mail para rsubjetiva@gmail.com.

Revista Subjetiva

Tudo aquilo que você não encontra na grande mídia.

Leo Oliveira

Written by

Brazilian. Columnist. Teacher. Art & Life Enthusiast. Escrevo sobre coisas que passam meio despercebidas.

Revista Subjetiva

Tudo aquilo que você não encontra na grande mídia.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade