O que eu quero de verdade pra minha vida

Quero ter bons amigos, não preciso mais do que o suficiente pra preencher todos os lugares no sofá da sala. Quero sair pra conhecer aqueles bares do centro da cidade e as lanchonetes antigas, quero perder a noção do tempo e ficar sem ter como voltar pra casa porque o metrô fechou. Quero ir em mais shows do que meu dinheiro pode bancar, sentir frio na barriga quando as luzes apagarem, ver pessoas diferentes, ouvir histórias de fãs que viajaram e desistiram do emprego só pra ver a banda favorita.

Também quero um lugar decente pra morar sozinha. Não precisa ser grande ou caro, só um apartamento com paredes brancas, uma janela grande o suficiente pra iluminar a sala de manhã e uma coleção de canecas na cozinha. Quero aqueles bules antigos, sabe? Nada de cafeteira que faz tudo sozinha, acho bonito a água caindo no pó de café enquanto o vapor sobe e infesta a casa, aquele cheiro que passa a impressão de que vai ficar tudo bem e vai ser um ótimo dia.

Quero andar de camiseta e meia pelos cômodos e ser grata por ter conseguido um lugar meu, um lugar tranquilo que não vai me trazer surpresas ruins quando eu voltar pra lá de noite. Quero poder escolher minha pizza favorita e assistir meus filmes com as luzes apagadas, ou todas as luzes acesas, quem decide sou eu. Não preciso de muito pra ser feliz, nem você. Os luxos da vida são só coisas extras, se tiver, tudo bem, mas se não tiver, tudo bem também.


Clique no ❤ e deixe o seu comentário. Se quiser mais privacidade, nos mande um e-mail para rsubjetiva@gmail.com

Segue a gente no Facebook|Twitter|Instagram|Youtube.

Conheça o Subversivo Podcast, o podcast oficial da Revista Subjetiva.

Temos um grupo para nossos leitores e autores, entre aqui.

Receba um conteúdo totalmente exclusivo clicando aqui.