Uma experiência com a doutrina espírita

Já deixando claro que este texto não tem cunho religioso, é só um relato

Para começar, relatarei um caso pessoal envolvendo manifestações espirituais, talvez sobrenaturais para alguns, mas agora entendo que é só o que o nosso mundo é, um local com espíritos encarnados — nós — e desencarnados — espíritos perdidos. Então se você tiver medo ou algo do tipo, pode já pular pro subtítulo, não tem problema. :)

Há uns 25 dias, mais ou menos, eu fiz a burrada de jogar o famoso Tabuleiro Ouija — feito de papel, pasmem. Eu estava na minha casa e joguei sozinha. Eu não joguei para zombar, apenas senti que precisava de um guia, de um direcionamento, e fui procurar isso com espíritos. Sei que quando você chama um, todos ouvem e coisa e tal, mas ao mesmo tempo em que eu acreditei fielmente que eu teria uma resposta, quando eu não tive uma eu simplesmente pensei “ok, é isto”. Me despedi no tabuleiro, rondando o ponteiro — feito com rolo de papel higiênico — no “ADEUS” e segui minha vida.

Nada “anormal” aconteceu, estava tudo normal. Até o dia 16 de outubro, uma terça-feira. Eu decidi não ir à faculdade e fui para casa. Chegando, só estava meu irmão mais novo em casa. Estávamos na cozinha quando vimos a maçaneta da porta principal da casa se mover duas vezes, naquele movimento de abrir. Na terceira vez, a porta abriu, e nisso corremos pra cozinha, cada um pegando uma faca para apunhalar um possível ladrão. Não havia ninguém e constatamos que fora o vento — pois ventava muito neste dia.

Depois nossa mãe chegou e tudo estava ocorrendo normalmente, até minha mãe perguntar porquê eu estava do lado de fora com o cachorro, porque ela ouvira eu conversando com o cachorro lá fora. Mas eu estava sentada na minha cama e o cachorro estava zanzando pela casa. Eu e meu irmão explicamos pra ela o ocorrido com a porta e eu falei a eles que eu tinha jogado ouija. Eles ficaram bravos — com razão — e depois ficamos meio em choque. Para finalizar a noite bizarra de terça-feira, eu e meu irmão vimos nosso cachorro ir correndo pro quarto, porque ele sempre faz isso e pega alguma almofada nossa. Mas quando olhamos para o quarto, o cachorro não estava lá, mas sim com a minha mãe, do outro lado da casa.

Fomos dormir, todos fazendo suas orações. Não sei se foi coincidência, mas isso me fez procurar um direcionamento mais forte, uma limpeza, uma cura para quaisquer desencarnados que estivessem presos neste plano, oriundos do possível portal que se abrira quando joguei ouija.

A experiência no centro espírita

Na mesma semana — na quinta-feira, mais especificamente — eu fui a um centro espírita da minha cidade, junto com minha mãe. Fomos muito bem recebidos e foi tudo muito diferente de tudo o que eu já vi e senti.

Eu consegui sentir minha energia, senti meu espírito e minha alma. Eu nunca havia ido a um, só tinha frequentado igrejas católicas e evangélicas e não me senti confortável ou acolhida nelas, então não deixei de buscar uma religião para me segurar.

Ainda não sei se a doutrina espírita é a que eu seguirei, mas a minha experiência precisa ser externada.

Neste centro que fui, eles embasam o discurso na bíblia, em Allan Kardec, o codificador do Espiritismo, na filosofia e ciência. É incrível, não tem outra palavra pra descrever! Nesse centro houve o passe inicial, o evangelho e o passe final. E foi aí que tudo mudou.

Educador Allan Kardec, codificador do Espiritismo — Foto: Portal Alto Astral

Eu consegui sentir minha energia para fora de mim, minha aura me protegendo, meu espírito se conectando com o Universo. E foi quando eu senti algo que nunca sentira: eu senti o espírito de Jesus em encontro com o meu. Nunca fui muito cristã e também nunca tive interesse em ser frequentadora assídua da igreja, pois nas que eu havia ido sempre era algo muito pregado e obrigatório — e extremamente assustador e sensacionalista, por isso não me sentia bem; mas nesse centro foi tudo tão real e tão verdadeiro, nada foi pregado, nada me foi obrigado, foi só minha aura e meu espírito encontrando uma paz, uma cura espiritual. Eu precisava disso, afinal, eu estava assustada com tudo o que aconteceu depois do jogo.

Pretendo voltar nesse centro e com certeza agora tudo faz mais sentido. Eu ainda quero conhecer o centro umbanda, por exemplo, pois sei que vou gostar muito. Mas eu quero deixar registrada a experiência incrível e iluminada que tive. Fui purificada e curada espiritualmente, meus chacras foram alinhados e meus pensamentos foram renovados. Uma sensação única, a sensação de espírito em paz. Eternamente grata por viver em um mundo de pessoas iluminadas e possibilidades de amparo espiritual.


Gostou? Clique nos aplausos — eles vão de 1 a 50 — e deixe seu comentário!

Não perca nada: Facebook | Instagram | Twitter | YouTube

Participe do nosso grupo no Facebook e divulgue seus textos por lá!

Saiba como não perder nenhum texto através do aplicativo do Medium.

Clique aqui e saiba como fazer parte do nosso time!