Morto, espremido entre o racismo da direita e o da esquerda

Mestre Moa foi assassinado com 12 facadas, pelas costas, após dizer que votou no PT

Que revolta, irmãos! Assassinaram o Mestre Moa. Foram 12 facadas, pelas costas, por um eleitor do Bolsonaro após o Mestre dizer que votou no PT. E lá se foi mais um corpo negro, um mestre negro. Pra variar, temos corpos negros tombando nessa luta de direita/esquerda. É como na Guerra do Paraguai, compomos a linha de frente da guerra entre eles. É sempre assim, sempre estoura é pro nosso lado.

Foto da internet. Selecionada do perfil do Mestre.

Sou tomado de sentimentos muito estranhos quando percebo que as pessoas da capoeira lamentando o ocorrido são as mesmas que condicionam a vulnerabilidade de pessoas negras no dia a dia. São pessoas brancas que não estão dispostas a rever o seu racismo e como contribuem pra isso. Pessoas que, na base da autodeclaração, já determinaram – assim como o próprio Bolsonaro – que não são racistas. Pessoas tão racistas quanto Bolsonaro estão reclamando das políticas do Bolsonaro. Pessoas tão “não racistas” quanto Bolsonaro estão reclamando do racismo do Bolsonaro.

É claro que a preocupação dessas pessoas passa longe de ser racismo. Todo esse apelo é oportunismo político. A pauta do antirracismo é só retórica, só pra ganhar adesão, pra usar para difamar o outro lado. O antirracismo só existe com o intuito de apontar o outro lado, para enfraquecê-lo. Aqui no Brasil, tá geral falando do coisa, mas dentro daquela lógica de que sempre o racista é o outro, onde temos racistas apontando racistas, mas se pergunta a cada um, ninguém é racista.

Como no caso da Mariellle, os brancos só sabem falar que foi o fascismo que matou. Por que? Porque a luta deles é contra o fascismo, não contra o racismo. Mas essas mortes não foram por fascismo, temos que afirmar. Não! Foi racismo! Pode não ser pra vocês, mas o racismo precede tudo pra gente! É o racismo que nos mata. No caso Marielle, um monte de gente branca no partido e quem morreu? A preta. No caso do Mestre, um monte de mestre branco aí na capoeira – graças à apropriação cultural, racismo– e quem morreu? Preto!

Foto da internet: mesmo que você esteja cercado de brancos por todos os lados, a violência desvia e acerta o preto primeiro.

Digo aqui como disse no caso da Marielle: não teria acontecido se as pessoas que choram sua morte fossem de fato cotidianamente firmes contra o racismo. O mesmo pro Bolsonaro. Ele não chegaria até aqui se as pessoas que são contra ele fossem de fato contra o racismo. A gente não precisaria da marcha do #elenão se a galera ali fosse de fato de combater o racismo. Se fossem contra o racismo mesmo, nada disso teria acontecido. Porque como já disse, machismo, homofobia, classismo e toda essa forma destrutiva de se relacionar com o outro, incluindo aí a natureza, decorre do racismo. É uma sobreposição de modos culturais.

O racismo aí, como fundo de tudo, é que o modo cultural/relacional branco (destrutivo) se sobrepôs ao modo negro. Só ver que, onde foram, derrubaram sociedades equilibradas/prósperas. Levaram destruição a sociedades equilibradas mundo a fora. Encontraram sociedades em que se vivia em comunidade, sem o classismo, destruíram; encontraram sociedades que viviam o matriarcado, mulheres no topo, destruíram; encontraram sociedades em que se reconhecia uma diversidade de gêneros, destruíram (já li sobre uma que reconhecia papo de uns 7 gêneros); encontraram sociedades que viviam em equilíbrio/harmonia com a natureza, destruíram. Enfim, todas as relações equilibradas e respeitosas que vocês buscam agora carecem de precedentes na sua própria historia/sociedade, e na nossa vocês destruíram, por racismo.

Então, esses bolsonaros eventuais são apenas a serpente que brotou do ovo de vocês, seus bolsonaros do dia a dia. Se fossem ativos contra o racismo, nada disso aconteceria. Mas vocês só são ativos contra o racismo quando ele vem com algo que vai impactar vossos interesses. É tipo, vocês se apropriam da capoeira e da nossa cultura, e quando o Estado vem com sua lógica de mercado dentro da qual vocês correm o risco de serem expropriados, vocês começam a gritar que isso é racismo, e começam o discurso de “temos que nos juntar pra enfrentar isso, que é racismo”. Vocês são muito seletivos na hora de enfrentar o racismo, né?!

Pois é… Nunca foi por nós que vocês se mobilizaram! Nunca! Sempre foi por vocês. Até agora, é por vocês! Vocês são racistas!! E do pior tipo, daqueles que usam o fato de a gente estar na merda pra nos convocar/explorar quando bem quiser. Porque vocês usam “o ruim com a gente pior sem a gente” na maior cara de pau. Isso vai dessa situação do Bolsonaro às condições a que submetem seus empregados. Vocês têm a cultura de explorar fazendo de conta que estão ajudando. Vocês, como beneficiários do racismo, estão no grupo que detém o monopólio dos recursos. E usam isso direitinho para nos ter na mão, sempre sob dependência, aceitando o mínimo porque a alternativa é nada. Vocês são sujos!! Chego a achá-los piores que os bolsonaros, porque vocês escamoteiam, são dissimulados.

E se alguém não gostou e acha que é mentira, que sou exagerado… que me prove que nesses espaços onde brancos são maioria são aceitas pautas antirracistas. Não! A galera pira! Te convido a tentar. Vai lá no PT, PSOL e as porra tentar. Vai nos grupos de capoeira. Vai nos grupos de maracatu aqui do Rio de Janeiro. Vai lá, porra! “Ahhh mas tem preto lá”. Preto que fala o que branco quer, que até desagrada nessa ou naquela fala, mas é um “desagrada pero no mucho”. É o mesmo tipo de preto que se tem também na direita. O preto que fala o que a casa quer ouvir, o que a casa deixa falar. E que age assim por pura alienação ou pra não vazar, pra não rodar.

Enfim, isso é um desabafo indignado de quem tá cansado de cinismo. De quem sempre bateu de frente com a esquerda pra falar de racismo e percebeu que seu racismo é muito sinistro. E um aviso: não pensem que estão passando batido porque estamos ligados também nos racistas que estão “ao nosso lado”, e cada dia tem mais gente ligada. Não achem que estão passando batido. Vocês serão cobrados. Ahh vão. Já já a conta chega!

___________

Ao Mestre, que descanse em paz e que encontre conforto ao lado dos ancestrais!! E que os Orixás e Inkises olhem por sua família nesse momento.

Aos nossos, vamos abrir os olhos!! A verdade é que estamos sozinhos nessa terra de ninguém e só nos querem pra nos usar. É nós por nós ou não é, não tem outra saída!

Lembremos que, ao entrar nessa luta, somos o lado vulnerável. Uma condição imposta também por aqueles que nos convocam como aliados. Lembram que nas manifestações de 2013 muitos foram presos, todos liberados? Quem foi que ficou agarrado por portar Pinho Sol? Qual era a cor? Vocês já viram fotos da cúpula do PSOL? Com tantos brancos, quem morreu foi a mulher preta. Pois é, mesmo cercado de brancos, a violência desvia de todos pra acertar o corpo negro.

No fim, nossos casos são todos politizados pra amealhar ganhos políticos pras suas causas. Usam os casos pra falar do avanço do fascismo. Estão cagando ou jogando pra segundo plano o racismo. Veja que o fascismo, o Bolsonaro… tudo são iguais a vocês: racistas! A lógica que perpassa tudo — fascismo, partidários de direita, partidários de esquerda — é que o preto se fode mais, o preto se fode primeiro. Raça/racismo é a base de tudo. Raça vem primeiro.