Designated Survivor é uma série Original Netflix

O que “Designated Survivor” tem para ensinar sobre resiliência?

Designated Survivor é uma série de televisão norte-americana criada por David Guggenheim e exibida pela ABC desde 21 de setembro de 2016.

A História

Na noite do discurso do Estado da União , uma explosão tira a vida do presidente e todos os membros do Gabinete, exceto o do Secretário de Habitação e Desenvolvimento Urbano dos Estados Unidos, Tom Kirkman, que foi nomeado o sobrevivente designado*. Kirkman é imediatamente empossado como presidente sem saber que o ataque é apenas o começo do que está por vir.

* Nos Estados Unidos, um sobrevivente designado (designated survivor) ou sucessor designado (designated successor) é um membro do Gabinete dos Estados Unidos indicado para ficar em um local fisicamente distante, seguro e secreto quando o Presidente e outros líderes do país (Ex: Vice Presidente e membros do gabinete) estão reunidos num mesmo local, como durante discursos sobre o Estado da União e cerimônias de posse presidencial. Isso é feito para manter a continuidade do governo no caso de um evento catastrófico que mate muitos oficiais na linha de sucessão presidencial. Na ocorrência de um evento no qual morram tanto o presidente quanto o vice presidente, o oficial sobrevivente de mais alto posto na linha, possivelmente o sobrevivente designado, se tornaria o Presidente em Exercício dos Estados Unidos segundo a lei de sucessão presidencial.

Mas e o que isso tem haver com resiliência?

A série inicia-se com a repentina mudança na vida do secretário Kirkman, que passa de Secretário da Habitação há Presidente dos EUA. Um mudança radical, que tira-o completamente de sua zona de conforto e do que está acostumado em seu dia a dia.

Soa familiar? Sair da zona de conforto? Claro que sim, ouvimos isso o tempo todo. Quantas pessoas não vemos reclamando do trabalho? Mas, quantos tomam atitude? Poucos. Porque a maioria sente medo.

Durante todo o desenrolar é notável a pressão e responsabilidade que o cargo trás para Kirkman, mas o mais incrível, é que ele se mantem forte e não desiste de querer fazer o certo. Os problemas que surgem são variados, desde o questionamento sobre suas experiências, até lidar com seus aliados que não respeitam seu poder. Basicamente, nada parece dar certo, e há todo momento um problema novo precisa ser tratado de forma rápida.

Vendo isso, me lembrei que a pouco tempo escrevi um artigo sobre resiliência, e indiquei 13 atitudes que podem ajudar quem está passando por algo semelhante. Vi nessa série como é importante manter a mente em equilíbrio, saber se comportar diante dos problemas, entender que o resolver é mais fácil que o surtar.

Durante todos os dias e provavelmente durante toda a nossa vida, vamos ser expostos a situações que testam nosso autocontrole e nossa postura. Seja no trânsito, no trabalho, no relacionamento, em casa ou na rua, sempre estaremos expostos a situações que façam com que percamos a cabeça, porém cabe somente a nós saber controlar isso.

Mudar de emprego, terminar um relacionamento, não são meios de solução. Problema e pressão estrá presente em todos os lugares, sempre. Tomar atitude de cabeça quente, sem pensar, não é uma solução. Precisamos cade vez mais estudar o efeito de uma atitude, de uma palavra dita, ou de uma mensagem enviada.

A cada dia que passa, vejo que tomamos atitudes por instinto, algumas vezes com o emocional. Não é assim que deve ser, precisamos trabalhar nosso racional, aprender a pensar antes de agir, e é isso que tenho tentado todos os dias.

O mundo não precisa de pessoas que desistem, precisa de pessoas fortes.

Todo dia tento um pouco mais praticar a resiliência e acho que todos deveriam também. Os problemas são passageiros, atitudes mal tomadas são definitivas.


Siga-me:

Facebook | LinkeDin | Behance | Github | Twitter | CodePen | Instagram

Se você curtiu este artigo, me ajude a espalhá-lo. Compartilhe!