Feira das Nações supera expectativas e leva 80 pessoas para Escola Benjamim

O Rotaract terminou o projeto Volta do Mundo com o evento que reuniu mais de 15 culturas diferentes neste sábado (26)

“Feira das Nações” era o que estava escrito em uma corda com pinturas feitas em papel na entrada da Escola Benjamin Constant na manhã deste sábado (26). Quem entrava na instituição ainda encontrava setas com nomes de diversos países e um “bem-vindos” no pátio onde havia uma mistura de culturas, esportes e tradições. A decoração toda foi feita pelos professores e alunos para receberem sua comunidade, que há anos não via a escola lotada. 80 pessoas visitaram e participaram das atividades.

Estudantes em cima das escadas bem cedo da manhã com os membros do Rotaract Porto Alegre Jovens em Ação estavam fazendo os últimos ajustes. Nas paredes de vários cantos da escola estavam cartazes de diversos países, com apresentação de ‘guias turísticos’. Uma das viagens foi para o Líbano, com objetos da cultura trazidos pela rotaractiana Key, e outra foi para o Egito, com apresentação da guia Ariane.

A música da caixa de som já estava tocando quando começou o Rugby. Sim, o time masculino Guasca Rugby Clube, de Porto Alegre, ensinou um pouco do esporte inglês para a gurizada, com direito a grito de guerra. No palco, começava a banda de instrumentistas de origem alemã, trazendo um pouco do lado germânico para a feira.

Na parte coberta do pátio havia um tatame, no qual a equipe profissional Jiu-Jutsu GF Team Porto Alegre demonstrava o esporte. A professora Fabi, os companheiros Pedro e Mathias, e estudantes aprenderam e praticaram o esporte japonês.

O Rotaract Porto Alegre Norte estava com um bazar de roupas e acessórios. O almoço, para alegria dos adolescentes, foi um lanche Big-Mac do McDonalds, por conta do evento do Mc Dia Feliz. E uma apresentação de Hip-Hop chamou atenção, um haitiano cantou uma música agradecendo pela receptividade brasileira:

— Meu Brasil, meu coração quer dizer: obrigado, obrigado, obrigado.

O companheiro Pedro Molnar entrevistou o haitiano Marc, da Iniciativa Travessias Imigrantes, e o alemão Tobias, do Rotaract Porto Alegre Norte. Eles falaram das suas vindas ao Brasil e sobre seus países de origem, destacando a cultura, o entretenimento e o respeito com as diversidades em suas regiões.

Às 14 horas, o time feminino do Guasca Rugby chegou para ensinar o esporteàs meninas. Vários alunos e alunas participaram e as atividades foram encerradas com o tradicional grito de guerra:

— Sou bagual que não se entrega, assim no más! Guasca!

Os companheiros do Rotaract que organizaram o evento agradecem todos que apoiaram para o sucesso da feira
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.